Livre circulação de pessoas entre países do Mercosul é tema do encontro em Brasília

06.12.2012 - Agencia Brasil

Livre circulação de pessoas entre países do Mercosul é tema do encontro em Brasília
(Crédito da Imagem: http://bit.ly/VxcL5p)

Matéria de Mariana Tokarnia e Renata Giraldi, Repórteres da Agência Brasil

Brasília – Os presidentes dos países do Mercosul, reunidos em Brasília, deverão intensificar os esforços para garantir a livre circulação de cidadãos dentro do bloco. A informação é do subsecretário-geral da América do Sul, Central e do Caribe do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, embaixador Antonio José Ferreira Simões.

Simões disse hoje (5) que houve um apelo coletivo sobre o tema durante a Cúpula Social do Mercosul. “[O assunto] está na pauta do Mercosul. Já existem mecanismos que facilitam a circulação de pessoas. Mas há esforços para que essas negociações, já em curso, se transformem em algo real”, disse o embaixador.

Segundo Simões, a mobilidade foi facilitada ao longo dos anos. “Se olharmos de dez anos para cá, veremos que tivemos vários avanços”, argumentou. O objetivo agora é garantir a livre circulação, assunto que será discutido na reunião de Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, no dia 7, em Brasília.

Em 2009, o Parlamento do Mercosul aprovou recomendação ao bloco para que a livre circulação fosse concretizada. O então senador Aloizio Mercadante disse que era equivocada a visão de que os imigrantes contribuem para aumentar as taxas de desemprego e o índice de criminalidade.

O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela e Paraguai – que está suspenso do bloco até abril de 2013, como resultado do impeachment do presidente Fernando Lugo. Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia participam do bloco como países  associados. Há, ainda, dois membros observadores: México e Nova Zelândia.

Com a inclusão da Venezuela, o Mercosul reúne agora 270 milhões de habitantes, o equivalente a 70% da população da América do Sul. O Produto Interno Bruto (PIB) do bloco é US$ 3,3 trilhões, aproximadamente 83,2% do PIB sul-americano, ocupando um território de 12,7 milhões de quilômetros quadrados, equivalente a 72% da região.

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Diversidade

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.