Exigem o restabelecimento da legalidade constitucional na Guinea Bissau

17.04.2012 - Bissau - Pressenza IPA

A Direcção Nacional da Liga Guineense dos Direitos Humanos registou com muita apreensão a consumação de mais um golpe de estado reivindicado por um suposto Comando Militar e assumido pelo Estado Maior General das Forças Armada e a consequente detenção dos titulares dos órgãos da soberania, nomeadamente Presidente da Republica Interino e Primeiro-ministro suspenso, respectivamente Raimundo Pereira e Carlos Gomes Júnior.

Esta sublevação militar independentemente do seu fundamento coloca o país perante uma situação de crise sem precedentes de cujas consequências comprometerão de forma incomensuráveis, os esforços da comunidade internacional e das autoridades nacionais para a estabilização do país.

A Guiné-Bissau proclama-se ser um estado democrático e de direito no qual impera a primazia da ordem constitucional sobre quaisquer intervenções publicas e privadas e a subordinação incondicional das Forças Armadas ao poder politico. Porquanto, o destino do país e as opções políticas competem única e exclusivamente as autoridades políticas, às quais incumbem velar pela organização e funcionamento do estado, incluindo as das Forças Armadas. Neste contexto e tendo em conta a necessidade imperiosa do regresso a normalidade constitucional e a manutenção da estabilidade política do país, a Direcção Nacional da Liga delibera o seguinte:

1- Condenar sem reservas o Golpe de Estado perpetrado pelas Forças Armadas no passado dia 12 de Abril de 2012;

2- Responsabilizar o Estado-Maior General das Forças Armadas pela integridade física do Presidente da Republica, do primeiro-ministro e dos demais responsáveis políticos e cidadão comum que se encontram em situação de risco e vulnerabilidade.

3- Condenar a detenção arbitrária e espancamento do jornalista António Aly Silva perpetrado pelos militares;

4- Exigir a reposição da legalidade constitucional e da ordem democrática;

5- Exortar a Comunidade Internacional nomeadamente a CEDEAO, CPLP, a União Africana, a as Nações Unidas entre outras, no sentido de accionar com maior firmeza medidas urgentes e adequadas com vista a reposição da ordem constitucional salvaguardando o estado de direito na Guiné-Bissau;

6- Exigir a libertação imediata e incondicional do presidente da república e do Primeiro-Ministro e de todos aqueles que estejam sob custodia dos militares devido a estes acontecimentos

Categorias: Africa, Internacional, Nota de imprensa, Política

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.