Presidente da Assembléia Geral da ONU recebe o coordenador internacional da Marcha Mundial

17.06.2009 - Nova York - Pressenza IPA

O presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas, Miguel d’Escoto e o coordenador da Marcha Mundial pela Paz e pela Não Violência, Rafael de la Rubia, reuniram-se em 16 de junho, na sede da ONU em Nova York para discutir o apoio do organismo internacional à iniciativa.

No encontro, que se estendeu por mais de uma hora, ambas as partes se comprometeram a trabalhar em conjunto para promover a Marcha Mundial e seus objetivos, que são comuns aos princípios fundacionais das Nações Unidas.

D’Escoto afirmou que apóia a Marcha Mundial pessoalmente, já que compartilha os objetivos e princípios que ele representa e almeja. Declarou que vai trabalhar para conseguir o apoio de outras nações-membro, como a Nicarágua, e que ajudaria na organização da Marcha na Ásia, Europa e nas Américas.

Ambas as partes concordam que deveria haver “tolerância zero” com relação às armas nucleares e que era imprescindível buscar sua erradicação definitiva, um dos principais objetivos da Marcha Mundial.

Ao término da reunião, de la Rubia encontrou-se com a Missão da China para as Nações Unidas, para explicar os objetivos da Marcha, discutir sua adesão e a realização da campanha na China.

A Marcha Mundial é uma iniciativa do Mundo Sem Guerras, uma organização internacional que promove a não-violência e trabalha para prevenir as guerras. Um grupo de marchantes internacionais percorrerá todos os continentes, partindo no dia 2 de outubro (Dia Internacional da Não-Violência) de Wellington (Nova Zelândia), terminando no dia 2 de janeiro de 2010 aos pés do monte Aconcágua, em Punta de Vacas (Argentina). Simultaneamente, serão realizados milhares de shows, fóruns, conferências e atos públicos em mais de 100 países.

Entre as adesões a essa iniciativa, encontram-se sete chefes de estados, entre eles Michelle Bachelet do Chile, Evo Morales da Bolívia e Cristina Kirchner da Argentina, vários prêmios Nobel, incluindo Rigoberta Menchu e Desmond Tutu, o ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter, a rainha Rania al-Abdullah da Jordânia e importantes figuras da música, do cinema e do esporte, como Yoko Ono, Penelope Cruz, Pedro Almodóvar e Zubin Metha. Conta, também, com o apoio de organizações internacionais, como Prefeitos pela Paz, Abolition 2000 e agências nacionais da Anistia Internacional.

As propostas da Marcha Mundial são: o desarmamento nuclear, a retirada imediata das tropas dos territórios ocupados, a redução progressiva e proporcional do armamento convencional, a assinatura de tratados de não agressão entre os países, a renúncia dos governos a utilizar as guerras como meio para resolver conflitos e criar uma consciência global que reconheça a necessidade de rejeitar todas as formas de violência e alcançar a paz.

Categorias: América do Norte, Assuntos internacionais, Internacional

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.