Enquanto os representantes se reuniam para o 2º dia da Conferência de Revisão do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, na ONU, em Nova York ativistas da paz se mobilizaram pelo desarmamento nuclear do outro lado da rua no “Muro de Isaías”.

Por Brendan Fay

Nós nos reunimos e cantamos hinos pela paz e contra a guerra sob a passagem bíblica de Isaías 2:4 em letras de 20 centímetros gravadas na pedra do muro: “Eles transformarão suas espadas em arados. E suas lanças, em foices. Nação não deve levantar espada contra nação. Nem se prepararão mais para a guerra.”

Algumas pessoas presentes tinham organizado e se reunido na manifestação histórica para o Desarmamento Nuclear em junho de 1982, quando um milhão de pessoas marcharam para o Central Park.

Fomos a cara global da “Sociedade Civil” de muitos grupos, incluindo Veterans For Peace, War Resisters League, Catholic Worker, Granny Peace Brigade, Pax Christi NY State, Code pink, Peace Action NYS, Brooklyn For Peace e NYCAN – a Campanha de Nova York para abolir armas nucleares.

Nós nos reunimos e marchamos para a missão dos EUA em prol de um futuro de esperança, para nossos filhos e netos.

Temos a responsabilidade moral de usar nossa voz para a eliminação de armas nucleares.

Soamos o alarme sobre a ameaça à vida da Terra e ao futuro da humanidade. Estávamos nas calçadas da cidade levantando nossa voz para “a vida e para o planeta”. Enquanto existirem armas nucleares – a vida da humanidade está ameaçada.

Os bilhões desperdiçados em armas nucleares são recursos retirados da saúde global, da habitação e do combate à fome. A mudança climática é agora uma ameaça global. Nosso mundo está pegando fogo. Os milhões gastos com armas nucleares são necessários para evitar as catástrofes ambientais.

Convocamos o governo dos Estados Unidos e outras nações para anunciarem medidas concretas durante a Conferência da NPT. Um risco em prol da paz. Enquanto os líderes políticos denunciam a recente retórica da ameaça nuclear, pedimos um compromisso urgente com o desarmamento nuclear.

Apelamos para todas as nações assinarem, ratificarem e implementarem o Tratado de Proibição de Armas Nucleares.

Há pessoas que dizem que estamos perturbando a paz, mas estamos perturbando a guerra!

Na sessão de abertura da conferência, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, alertou que “a humanidade é apenas um descuido, um erro de cálculo da aniquilação nuclear”.

Como nova-iorquinos, sentimos uma profunda responsabilidade de nos manifestar e envolver a desobediência civil desde que foi aqui no Projeto Manhattan que a primeira bomba atômica foi produzida.

Setsuko Thurlow, uma heroína inspiradora do movimento global de desarmamento apareceu em nossa manifestação. Ela passou a vida contando a história de sua experiência como uma estudante de 13 anos em Hiroshima no dia do bombardeio atômico.

77 anos depois – ela estava nas Nações Unidas conversando com jornalistas e representantes na conferência do NPT, em um chamado para trabalharmos para livrar nosso mundo de armas nucleares.

Sua breve presença conosco afirma o papel fundamental dos movimentos comunitários de base que pressionam por um mundo sem armas nucleares.


Brendan Fay é um organizador da campanha de desinvestimento e desarmamento nuclear na cidade de Nova Iorque. Ele foi recentemente homenageado por Pax Christi New York com o Eileen Egan Peacemaker Award 2022.

 

Tradução do inglês por Doralice Silva