Na manhã do dia 27 de março, o navio de busca e resgate da ONG Open Arms, com a equipe de emergência a bordo, realizou o resgate de uma embarcação de madeira em dificuldade com 38 pessoas a bordo, incluindo 7 mulheres e 14 crianças, todas com menos de 10 anos de idade, sendo uma delas, um bebê de apenas 4 meses. O barco ficou à deriva por dois dias, após zarpar de Trípoli, capital da Líbia.

A Open Arms, que deixou o porto de Barcelona dia 14 de março para a Missão 82, tinha acabado de retornar ao mar após ficar ancorado em frente ao porto de Siracusa para se abrigar do mau tempo.

Após ter alertado as autoridades competentes, a tripulação atingiu a posição indicada e iniciou as operações de resgate por volta das 11h20. Após o resgate dos náufragos, a ONG recebeu a sinalização de outros três barcos em dificuldade.

Dois foram interceptados pela guarda costeira da Líbia e regressaram a um país onde os direitos humanos são constantemente violados. A Open Arms e as emergências reiteram que a Líbia não pode de forma alguma ser considerada um porto seguro e que as autoridades europeias devem deixar de apoiar a recusa de entrada daqueles que tentam atravessar o mar Mediterrâneo.

Neste momento, a ONG Open Arms está navegando em direção ao quarto barco em dificuldade, preparando-se para o seu resgate.


Traduzido do italiano para o português por Mychelle Medeiros / Revisado por Stephany Vitelli