Congresso Mundial da Paz IPB 2021: Uma Entrevista com o copresidente da IPB Philip Jennings

P: Qual o significado de tempo e localização do congresso? Por que 2021 e por que Barcelona?

R: A Conferência IPB Barcelona objetiva ser o maior encontro de ativistas da paz em 2021, o ano em que as Nações Unidas declararam o Ano Internacional da Paz e Confiança. Este é, também, um grande ano para o IPB, pois celebramos nosso centésimo trigésimo aniversário. Esse é o momento de refletir e organizar as coisas em busca da paz e da segurança comunitária.

Barcelona é uma cidade de paz – uma das poucas no mundo com um comprometimento em organizar e investir para promover e protestar a favor da paz – ela abriu os braços ao IPB, tanto com a cidade quanto com a região exercendo um papel ativo na preparação do congresso.

A cidade é lar de nosso anfitrião e membro do IPB, Centro Delàs, o qual é a colmeia da atividade pela paz, pesquisa e campanhas regionais e globais. O IPB tem presença única no Centro Delàs, onde a Campanha Global de Gastos Militares (Global Campaign on Military Spending – GCOMS) é sediada e impulsionada.

Barcelona também fica sobre o Mar Mediterrâneo – uma região que une África, Ásia e Europa – e servirá como ponto central do congresso.

P: Qual é a situação global sobre a qual o congresso é organizado e como isso contribui ao conteúdo do congresso?

R: A pandemia de Covid-19 tem revelado as linhas falhas no mundo e tornado evidente a demanda por novas respostas. O Instituto Heidelberg de Pesquisa Internacional em Conflito relata 196 conflitos mundiais violentos em 2019; 80 milhões de refugiados. Vemos que o capitalismo neoliberal falhou, a pandemia global assola, a emergência climática é eminente, o abismo da desigualdade continua a crescer, o fascismo, racismo e a discriminação estão em ascensão mundial. O armazenamento de vacinas, empregos, remunerações, moradias, escolas existem em um mundo que tem acesso a armas nucleares, aumentando os gastos com armamento (em torno de dois bilhões de dólares americanos em 2019) e expandindo as indústrias bélicas. O relógio do juízo final permanece a 100 segundos da meia noite.

E tudo o que tem acontecido se mostra como uma receita ao desastre e a legitimação de uma crise existencial; porém, deve haver alguma esperança e ação para a criação de um futuro melhor.

Nesse tempo de crise global, precisamos nos mobilizar em prol da paz, esse assunto é algo que não pode ser deixado na sala de espera dos debates políticos enquanto pedimos por sociedades sustentáveis. Esse é o momento de nos reenergizar e organizar por aquele planeta sustentável e pela paz.

Portanto, o tema da conferência será para (re)imaginar nosso mundo e entrar em ação. Acreditamos que o congresso é capaz de propiciar ativistas ao redor do mundo com não apenas esperança, mas também novas ideias, recursos e planos para agirmos em 2021 e adiante.

P: Quais os resultados esperados do congresso? O que os participantes terão ganho ao final?

R: Nós demonstraremos como os segmentos do movimento pela paz global e os ativistas têm agido para que a paz aconteça em nível local e global

O que dará vida ao congresso será o envolvimento ativo de todos aqueles mobilizados a favor da paz, do meio ambiente, da economia e da justiça social ao redor do mundo. Objetivamos unir todos esses ativistas e movimentos para conectar os pontos e construir relações mais fortes entre nós – entregando mensagens que serão ainda mais forte juntas quando buscarmos por mudança. Ao fim do dia, a paz não pode ser alcançada sem a parte ambiental, econômica e social, além de a justiça não poder acontecer sem a paz.

Não temos escolha a não ser nos organizar para mudar as regras atuais. Nosso movimento clama por um recomeço global, uma reconstrução melhor; por esse motivo nosso tema é “(Re)imaginar nosso Mundo”.

Gostaríamos que os jovens ativistas participassem, para que eles possam aprender uns com os outros, encorajar uns aos outros e para que possamos trabalhar não apenas por mais uma obrigação e sim para organizar e agir em prol da paz e da justiça. Desse modo, o resultado precisa ser uma ação cooperativa.

Durante a conferência, comemoraremos o quinquagésimo aniversário do lançamento de Imagine, de Jhon Lennon e Yoko Ono. Sob os céus de Barcelona, devemos, nas palavras deles imaginar todas as pessoas vivendo a vida em paz, pois um dia “o mundo viverá como um só”.


 

Traduzido do inglês por Laura Zanetti / Revisado por Larissa Dufner

O artigo original pode ser visto aquí