“Trump será considerado o pior e o mais perigoso presidente na história.”

Por Jon Queally, redator

Em meio aos apelos pela prisão imediata do presidente Donald Trump, sua destituição do cargo sob a 25ª Emenda e o impeachment após a violenta invasão ao Capitólio dos Estados Unidos por uma multidão de direita que pretendia interromper a certificação pelo Congresso dos resultados das eleições de 2020, o Senador Bernie Sanders, de Vermont, acusou o presidente de ser o “responsável direto” pelo dia do caos.

Sanders acusou Trump ao deixar claro: “ele fará qualquer coisa para permanecer no poder – inclusive a insurreição e a incitação à violência.”

O senador previu ainda que Trump “ficará na história como o pior e o mais perigoso presidente.”

O homem diretamente responsável pelo caos de hoje é Donald Trump, que deixou claro que fará qualquer coisa para permanecer no poder – incluindo insurreição e criando violência. Trump ficará na história como o pior e mais perigoso presidente.

— Bernie Sanders (@BernieSanders) 06 de Janeiro de 2021

Sanders não estava sozinho em sua expressão de indignação e apontou a culpa pelo dia do caos – que incluiu uma pessoa baleada até a morte fora do andar do Senado dos EUA – diretamente a Trump.

Robert Weissman, presidente da Public Citizen disse “Donald Trump incitou um motim, uma insurreição destinada a promover sua tentativa infeliz de golpe e minar a confiança em nosso processo democrático.”

O presidente, acrescentou Weissman, “mostrou, conclusivamente, sua inaptidão para o cargo. “Ele não pode ter a permissão de permanecer na função nem por mais duas semanas; os riscos de ações imprudentes são altos demais.”

Bonnie Castillo, diretora executiva do National Nurses United, disse: “Esta foi uma tentativa violenta de impedir o Congresso de confirmar a escolha do povo para presidente e vice-presidente. Sendo assim, é um ataque à própria democracia, instigado pelo presidente dos Estados Unidos.”

Estou elaborando artigos de impeachment.

Donald J. Trump deve ser cassado pela Câmara dos Representantes e destituído pelo Senado dos Estados Unidos.

Não podemos permitir que ele permaneça no cargo, é uma questão de preservar nossa República e precisamos cumprir nosso juramento.

— Ilhan Omar (@IlhanMN) 06 de Janeiro de 2021

Ao escrever para a revista The Nation, John Nichols ecoou o apelo para que Trump – cujo comportamento ele caracterizou “como um crime muito grave para ser ignorado” – sofresse o impeachment imediatamente. De acordo com Nichols:

O mal que o presidente causou não pode ser perdoado ou esquecido. E a ameaça de que ele pode causar mais mal não pode ser negligenciada.

A Constituição dos EUA é clara. Ela estabelece que “O presidente, vice-presidente e todos os oficiais civis dos Estados Unidos, devem ser destituídos do cargo por impeachment e condenação por traição, suborno ou outros crimes graves e contravenções.”

Incitar o motim que beira a insurreição é traição. É um crime grave. E nenhum observador honesto pode negar a verdade da declaração do antigo Secretário de Segurança Interna, Jeh Johnson, de ter dito que Donald Trump “acendeu o fósforo”.

O presidente dos Estados Unidos, sugeriu o Senador Ed Markey (Massachusetts) em um tweet, “é responsável pelo golpe de Estado de hoje no Capitólio e pelo ataque ao nosso governo e à democracia.” Ele é uma ameaça direta ao nosso país. Ele precisa ser destituído, afastado do cargo e impedido de voltar a ocupar a função.


Traduzido do inglês por Luciana Leal / Revisado por Larissa Dufner