Para um novo fórum social mundial

02.09.2020 - Roberto Savio

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão

Para um novo fórum social mundial

Em janeiro próximo, o Fórum Social Mundial terá 20 anos de existência. Sua aparição em 2001, convocando os vários movimentos sociais, ativistas e intelectuais para enfrentar o neoliberalismo prevalecente, foi um evento global. A partir de então, muitas reuniões de massa ocorreram em diferentes países, em torno do eixo dos debates horizontais e da articulação entre organizações. Uma das regras era que ele não podia fazer declarações ou pedir ações em seu próprio nome. O mundo mudou muito desde então e alguns de seus ativistas acreditam que é urgente e essencial poder construir ações conjuntas como sujeito político global, diante da crise econômica, social e ambiental que ameaça o futuro do planeta.

 

Mudar o FSM para poder mudar o mundo. De um espaço aberto para um espaço de acção

O FSM celebra o seu 20º aniversário em 2021. Um grupo de activistas está actualmente a considerar a possibilidade de organizar um novo fórum na Cidade do México. Tudo depende, naturalmente, da situação relativa ao coronavírus.

Sabemos que o mundo mudou muito desde 2001 e do primeiro Fórum em Porto Alegre. Nessa altura, os fundadores do Fórum redigiram uma Carta de Princípios para estabelecer as regras do jogo e impedir que o Fórum fosse um espaço de luta em vez de um espaço de convivência e de convergência. Longe de nos ajudar, as regras do “espaço aberto” foram em tempos recentes interpretadas de uma forma dogmática e o Fórum não foi capaz, em nenhum momento crucial da história contemporânea, de se expressar como um sujeito político global, excepto uma vez e por excepção.

Houve várias iniciativas no passado para sair deste impasse e para se fazer ouvir com uma voz política a partir de e em nome do Fórum. Basta lembrar a grande manifestação de 15 de Fevereiro de 2003 contra a guerra no Iraque, iniciada no âmbito do FSM. Vários participantes históricos do FSM e signatários do “Manifesto de Porto Alegre” – uma tentativa de quebrar o consenso paralisante – assinaram recentemente um apelo no sentido de se tentar novamente passar de “espaço aberto” para “espaço de acção”, não para propor programas políticos de âmbito global, mas para interagir com o mundo exterior. Os signatários desta primeira mensagem foram Frei Betto, Atilio Borón, Bernard Cassen, Adolfo Perez Esquivel, Federico Mayor, Riccardo Petrella, Ignacio Ramonet, Emir Sader, Boaventura de Sousa Santos, Roberto Savio, Aminata Traoré.

Não se trata de impor posições políticas a um colectivo que sempre foi e continuará a ser muito diversificado. Mas num momento em que o mundo corre o risco de um colapso ambiental, numa grave crise causada por um fascismo emergente, pelo capitalismo financeiro dominante, pelo racismo e pelo patriarcado, num momento em que jovens, mulheres e todos os oprimidos estão de novo nas ruas para exigir justiça e políticas ecológicas sustentáveis, o Fórum não pode estar ausente. É um dever moral e político deixar de nos limitarmos à autoreflexão e começar a falar e a agir com o mundo.

É por isso que os signatários do Manifesto de Porto Alegre querem mudar o FSM para mudar o mundo. Consideramos que é urgente democratizar o Fórum, as suas estruturas e a sua governação. A mudança, que a lógica e a história nos impõem, tem de ser o resultado de uma discussão aberta e participativa. É crucial introduzir uma governação que nos permita passar de um espaço aberto para um espaço de acção. Para tal, propomos que o Conselho Internacional integre as novas forças sociais que se mobilizam em todo o mundo, que procuremos constituir um órgão mais representativo, que possa olhar para a nossa Carta de Princípios e adaptá-la aos novos tempos do século XXI, que demos um lugar aos fóruns regionais e temáticos, que organizemos dias internacionais de acção, que possamos discutir o caminho a seguir para fazer do FSM um tema político global. Não será um caminho fácil e exigirá a abertura e a vontade de todos nós para criar um órgão eficaz, capaz de falar com o mundo. Existem muitas outras possibilidades para reforçar a governação e democratizar o FSM.

Esperamos vivamente que elas venham a ser apresentadas para que possam ser discutidas democraticamente. Gostaríamos de convidá-l@ a participar nesta reflexão colectiva. É uma tarefa urgente que pode contribuir para moldar o “outro mundo possível” que tanto desejamos e necessitamos.

Adolfo Pérez Esquivel (Argentina) | Alberto Acosta. (Ecuador) | Aminata Traoré (Mali) | Armando de Negri (Brazil) | Assétou Founé Samaké (Mali) | Atilio Boron (Argentina) Aziz Rhali (Morocco) | Berenice Celeita (Colombia) | Bernard Cassen (France) | Bernard Duterme. (Belgium) | Boaventura de Sousa Santos. (Portugal) | Candido Gribowszki (Brazil) | Cecilia Capanna (Italia) Claudia Yadira (Mexico) | Dalia Acosta (Cuba) Demba Moussa Dembele (Senegal) Elizabeth Mpofus (Zimbabwe) Emir Sader (Brazil) | Federico Mayor (Spain) | Flavio Lotti (Italy) | Francine Mestrum (Belgium) Frei Betto. (Brazil) | Guadalupe Ponce (Mexico) | Hazel Henderson (USA) | Hélène Tremblay (Canada) | Ignacio Peón (Mexico) | Ignacio Ramonet (Spain-France) | Jason Nardi. (Italy) John Bellamy (USA) | Leo Gabriel. (Austria) | Luis Lópezllera. (Mexico) | Madhuresh Kumar (India) Manou Angahi | (Ivory Coast) | Mario Dujisin (Chile-Portugal) | Medha Patkar (India) Mireille Fanon Mendès. (France) | Mohau Pheko (South Africa) | Ms. Roma. All India Union of Forest Working People (India) | Norma Fernández. (Argentina) | Nzira Deus (Mozambique) | Oscar Gonzalez. (Mexico) | Raquel Martínez López Gómez (Spain) | Reiner Braun (Germany) | Riccardo Petrella. (Italy- Belgium) | Roberto Savio. (Italy-Argentina) | Saida Garrach. (Tunisia) | Susan George. (France) | Taoufik Ben Abdellah. ENDA (Tunisia) | Vandana Shiva. (India) | Wim Dierckxsens (Costa Rica)


Convidamo-lo, pois, a assinar este apelo: https://foranewwsf.org/

Facebook: Towards a New World Social

Categorias: Internacional, Não violência
Tags: , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.