Pacto Eco Social do Sul

24.06.2020 - Ecuador - Redacción Ecuador

This post is also available in: Espanhol, Italiano

Pacto Eco Social do Sul

Comunicado de imprensa

Na quarta-feira, 24 de Junho, terá lugar o lançamento público virtual do Pacto EcoSocial do Sul, uma proposta auto-convocada por um conjunto de organizações sociais e individuais com vista a configurar em conjunto “um horizonte colectivo de transformação para a Nossa América que garanta um futuro digno”.

O evento terá lugar na plataforma do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO), com o apoio da Associação Latino-americana de Sociologia (ALAS), às 16h00 no México, Colômbia, Equador e Peru, às 17h00 na Venezuela e Bolívia, às 18h00 na Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, na quarta-feira, 24 de Junho.

A socióloga, investigadora e escritora argentina Maristella Svampa, o gestor cultural boliviano, membro do movimento Cultura Viva Comunitária, Mario Rodriguez, bem como o pensador colombiano pós-desenvolvimento Arturo Escobar,  apresentarão a iniciativa. Convidaram os activistas socioambientais como a líder afrodescendente Francia Márquez, da Colômbia, um líder sindical, um representante do movimento dos sem abrigo do Brasil, líderes indígenas e afrodescendentes, bem como Vandana Shiva, filósofa e ecofeminista da India, e o líder ambientalista nigeriano Nnimmo Bassey.

O Pacto Eco-Social do Sul procura “contrariar a dinâmica de realojamento capitalista, concentração da riqueza e destruição dos ecossistemas que vemos emergir em plena crise da COVID-19”, combinando justiça social, de género, étnica e ecológica. Desde o seu aparecimento na Internet, em 2 de Junho, e antes do seu lançamento oficial, já reuniu o apoio de 1.700 indivíduos e 350 organizações em toda a América Latina.

O pacto procura reorganizar as sociedades em torno do cuidar da vida. As propostas incluem a reforma fiscal progressiva, a introdução de um rendimento básico universal, a anulação da dívida externa, a priorização da soberania alimentar e uma transição sócio-ecológica radical.

Entre os signatários estão, por exemplo, o ecologista brasileiro Leonardo Boff, o escritor colombiano William Ospina, a antropóloga feminista Rita Segato, a defensora dos direitos indígenas Patricia Gualinga e o ex-presidente da Assembleia Constituinte do Equador, Alberto Acosta.

Contactos:
Argentina: Maristella Svampa: maristellasvampa@yahoo.com; Bolivia: Mario Rodríguez Ibáñez: mario.reddiversidad@gmail.com; Brasil: Breno Bringel: brenobringel@gmail.com; Chile: Lucio Cuenca: cuenca.lucio@gmail.com; Colombia: Arturo Escobar: turoescobar@gmail.com; Tatiana Roa Avendaño: troaa@censat.org; Ecuador: Alberto Acosta: alacosta49@yahoo.com; Esperanza Martínez: esperanza@accionecológica.org; Perú: Jaime Borda: jaime_borda@yahoo.es; José de Echave: jdeechave@cooperaccion.org.pe; Venezuela: Edgardo Lander: elanderl@yahoo.comPacto

Categorias: Ámérica do Sul, Diversidade, Ecologia e Meio Ambiente, Nota de imprensa, Política
Tags:

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.