Morre Aldir Blanc, autor do “Hino da Anístia” no Brasil

07.05.2020 - Rio de Janeiro, Brasil - Redação Rio de Janeiro

Morre Aldir Blanc, autor do “Hino da Anístia” no Brasil
Aldir Blanc, captura de video

Conheci o Aldir antes de saber quem ele era, quando ouvi junto com o Betinho, a música o Bêbado e a Equilibrista.

Ainda estávamos exilados no México, aquela canção já anunciava a volta do meu pai ao Brasil.

Lembro até hoje da sua emoção ao ouvir a Elis cantando que o Brasil sonhava com a volta do irmão do Henfil.

Quem resistiria a Elis e a uma música tão linda, que virou o hino da Anistia?

Betinho voltou, lutou pela democracia, contra a AIDS, contra a fome, mas principalmente pela solidariedade e a cidadania.

A primeira vez que encontrou o Aldir lhe disse carinhosamente: “voltei por causa da sua música, seu filho da puta!”

O descaso do poder público com o sangue contaminado matou o meu pai de AIDS.

O descaso do poder público com a saúde matou o Aldir, e ainda vai matar milhares de outros brasileiros.

Betinho voltou ao Brasil em plena ditadura.

Aldir nos deixa quando uma outra tenta voltar.

Ambos estão juntos agora, com o Henfil e o Chico Mário.

E eles nos cobram exatamente o que fizeram a vida toda: resistir ao autoritarismo e lutar pela democracia.

Salve Aldir!

 

Daniel Souza
Presidente do Conselho da Ação da Cidadania.  

Categorias: Ámérica do Sul, Cultura e Mídia, Opinião
Tags: , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.