‘Os povos africanos não são cobaias’, #PotênciasNegras denunciam racismo de médicos franceses

09.04.2020 - São Paulo, Brasil - Mídia NINJA

This post is also available in: Espanhol

‘Os povos africanos não são cobaias’, #PotênciasNegras denunciam racismo de médicos franceses

Dois dos maiores ídolos do futebol africano, o camaronês Samuel Eto’o e o marfinense Didier Drogba, reagiram com revolta às declarações de dois médicos franceses que sugeriram o teste de vacinas contra o coronavírus na África.

Durante um programa de TV, o professor Jean-Paul Mira, do Cochin Hospital, em Paris, sugeriu que o continente fosse usado para os testes porque “não tem máscaras, nem tratamento” para a doença. Outra debatedora, Camille Locht, do Instituto Nacional da Saúde e da Pesquisa Médica, concordou e disse que a ideia está sendo “seriamente considerada”.

Pouco depois das declarações, Eto’o usou uma rede social para compartilhar o vídeo do programa de TV e repudiar a atitude.”A África não é um lugar para vocês brincarem”.

 

Ver esta publicación en Instagram

 

Drogba (@didierdrogba), Eto’o (@setoo9) e Demba Ba (@demba_bm), três dos maiores jogadores africanos se posicionaram contra falas racistas de médicos sobre fazer testes de vacina no continente. Em um programa no canal LCI, da França, dois médicos conversam sobre a possibilidade de testar a vacina BCG no combate ao novo coronavírus mas sugerem que os testes sejam feitos no continente africano, já que lá “não há máscaras nem tratamento nem reanimação”. . Demba Ba postou o vídeo que mostra o racismo na fala médica com a legenda – “Bem-vindo ao Ocidente, onde os brancos se consideram tão superiores que o racismo e a debilidade são banalizados. Hora de se levantar!” – e Eto’o comentou com um xingamento. . Drogba fez uma postagem mais extensa, dizendo que a África não é um laboratório de testes e reforçando que estamos todos juntos na luta conta o vírus. – “Nos deixe nos salvar deste vírus louco, que está abalando a economia mundial e devastando a saúde da população pelo mundo. Não tomem os africanos como cobaias humanas! É absolutamente nojento… Os líderes africanos têm a responsabilidade de proteger a população dessas conspirações horríveis. Que Deus nos proteja”, complementou o jogador na postagem. #racismo #Africa #coronavirus

Una publicación compartida de Mídia NINJA (@midianinja) el

Drogba também se indignou com os comentários. Em uma rede social, ele disse que os médicos tratam os africanos como ratos de laboratório.

“É inadmissível que continuemos a aceitar isso. Eu denuncio essas declarações racistas. Nos ajudem a salvar vidas na África e a parar a disseminação do vírus em todo o o mundo, em vez de nos considerar ratos de laboratório. Isso é absurdo! Os líderes da África têm a responsabilidade de proteger as pessoas desse plano terrível.”
Em resposta, ativistas negros no Brasil vieram à público denunciar o racismo nas falas dos médicos.

Leia na íntegra a nota:

Vidas que valem

A Covid-19 é uma pandemia, atinge toda a humanidade. Na China e no continente europeu o número de vítimas diárias choca o noticiário mundial. Cientistas já pesquisam sobre uma vacina que não se sabe as contraindicações e reações que o medicamento terá no corpo humano.

Cientistas franceses sugerem que esta vacina seja testada primeiro na África, continente com o menor número de pessoas infectadas, até o momento. O levantamento mais recente aponta 23 mortes em todo o continente africano, enquanto Estados Unidos tem 2.988, China tem 3.314, Espanha tem 7.716 e Itália tem 11.591 mortes.

A África serve de laboratório para experimentos de europeus há séculos. Isso é mais um atestado de como ainda animalizam corpos pretos e africanos. É, na prática, o que Achille Mbembe denuncia como “necropolítica”, quando o Estado decide quem deve morrer.

Se os testes precisam e devem acontecer, que sejam realizados nos países com maiores índices de infectados. O povo Africano não é cobaia!

@potenciasnegras

 

Ver esta publicación en Instagram

 

Vidas que valem A Covid-19 é uma pandemia, atinge toda a humanidade. Na China e no continente europeu o número de vítimas diárias choca o noticiário mundial. Cientistas já pesquisam sobre uma vacina que não se sabe as contraindicações e reações que o medicamento terá no corpo humano. Cientistas franceses sugerem que esta vacina seja testada primeiro na África, continente com o menor número de pessoas infectadas, até o momento. O levantamento mais recente aponta 23 mortes em todo o continente africano, enquanto Estados Unidos tem 2.988, China tem 3.314, Espanha tem 7.716 e Itália tem 11.591 mortes. A África serve de laboratório para experimentos de europeus há séculos. Isso é mais um atestado de como ainda animalizam corpos pretos e africanos. É, na prática, o que Achille Mbembe denuncia como “necropolítica”, quando o Estado decide quem deve morrer. Se os testes precisam e devem acontecer, que sejam realizados nos países com maiores índices de infectados. O povo Africano não é cobaia! @potenciasnegras #NovoCoronaVirus #Covid19 #AfricansAreNotLabRats #politicademorte #AfricaNaoÉCobaia #PretoNaoÉCobaia #potênciasnegras #africanosnaosaoratosdelaboratorio #isolamento #coronavirus #povosafricanos #africanpeople

Una publicación compartida de Potências Negras (@potenciasnegras) el

Categorias: Africa, Direitos Humanos, Europa, Opinião
Tags: , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

maltepe escort