Cúpula Social pelo Clima faz anúncio oficial: todos em marcha no dia 6!

04.12.2019 - Madrid - Fernanda Pereira Mendes

This post is also available in: Espanhol, Alemão

Cúpula Social pelo Clima faz anúncio oficial: todos em marcha no dia 6!
(Crédito da Imagem: Fernanda Mendes)

Na manhã desta quarta-feira, em Madrid, representantes da Cúpula Social pelo Clima fizeram o anúncio oficial do início de suas atividades, que ocuparão diferentes espaços da capital espanhola entre 6 e 16 de dezembro, com uma vasta programação de oficinas, palestras, manifestações e cerimônias realizadas por representantes dos povos indígenas. Esta iniciativa acontece paralelamente à COP 25 – 25ª Conferência das Partes (cerca de 200 países) que aderiram à Convenção das Nações Unidas sobre Mudança Climática, que reúne chefes de estado para buscar soluções para a crise climática derivada da ação humana, também em Madri, entre 2 e 12 de dezembro.

Inicialmente, todas as atenções estão voltadas para a marcha que terá início às 18 horas da Espanha, no dia 6 de dezembro, para a qual se espera a afluência de milhares de pessoas de diferentes países. “Viemos do Chile para trazer este recado ao mundo: no nosso país, parecia impossível que as pessoas saíssem às ruas continuamente para mudar a Constituição. E é o que temos de fazer agora: sair às ruas e não parar até chegarmos às mudanças que queremos”, declarou a representante da Sociedad Civil por la Acción Climatica (SCAC), que representa cerca de 150 ONGs ambientais chilenas na organização da Cúpula. “Este não é qualquer ano, é o último ano que temos para iniciar uma grande mudança”, acrescentou.

Esta afirmação remete ao fato de que a COP25 é a última reunião para viabilizar o Acordo de Paris, concebido como o primeiro pacto mundial vinculante pelo clima, cuja vigência inicia em janeiro de 2020. O objetivo é cada um dos países tome as medidas necessárias para manter o aquecimento global abaixo dos 2 graus em relação à era pré-industrial; mantenha a produção de alimentos com baixos níveis de emissão de gases; e que sejam disponibilizados os recursos financeiros para fazer frente ao desafio.

Daí a urgência e a importância do recado chileno para a população mundial. Sem dúvida, embora a conferência seja mundial, o país anfitrião, europeu, a atmosfera desta cúpula social paralela é dada pelo cenário político latino-americano, para o bem e para o mal.

Ou seja, se o entusiasmo vem do Chile, por outro lado, um dos grandes obstáculos ao sucesso dos objetivos climáticos sem dúvida é o atual governo do Brasil que, em primeiro lugar, no fim de 2018, se negou a sediar a COP 25. Em segundo lugar, acusou ambientalistas e até mesmo o ator Leonardo di Caprio pelas queimadas sem precedentes ocorridas na Amazônia em meados de 2019: a floresta perdeu mais de 9,7 mil quilômetros quadrados de vegetação – equivalente a 10 mil campos de futebol – de agosto do ano passado a julho deste ano, 30% mais que o mesmo período anterior. Finalmente, e na contramão dos objetivos do Acordo de Paris, defende a ampliação das fronteiras agrícolas como matriz de crescimento econômico – ao invés do uso intensivo do atual território agrícola brasileiro, que atualmente é subutilizado. Além de estimular o desmatamento ilegal, ainda que indiretamente, este discurso também parece estar relacionado com a crescente invasão dos territórios indígenas e consequente matança de seus líderes, se opõe a esta política predatória para toda a humanidade.

O Brasil é o sétimo país do mundo em emissão de gases, por causa do uso agrícola do território, que representa 70% das emissões, a maior parte por causa do desmatamento. Se o desmatamento fosse reduzido a zero, o Brasil poderia reduzir suas emissões em 44%, que corresponde ao que a indústria e o setor elétrico emitem juntos. Por outro lado – e independente do atual governo – o país está na vanguarda mundial na produção de energia limpa: 47% da energia produzida no país vem de fontes limpas, e 85% da energia elétrica provem de fontes renováveis.

A conclusão deste cenário é a mesma de sempre, mas vale a pena reiterar: não é possível alcançar o equilíbrio climático sem o compromisso de todos os seres humanos com a igualdade social e respeito à diversidade, de povos, raças, culturas, espécies vivas: todas as reivindicações se encontram nestas, como podemos observar na galeria de fotos que acompanha esta reportagem.

Fernanda Mendes (incluindo informações da DW)

Categorias: Assuntos indígenas
Tags: , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Dia da Não Violência

Dia da Não Violência

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.