Evo apela a novas eleições

10.11.2019 - La Paz, Bolívia - Agencia Boliviana de Información - ABI

This post is also available in: Espanhol, Francês, Italiano

Evo apela a novas eleições
O presidente Evo Morales em entrevista coletiva no hangar presidencial em El Alto, La Paz (Crédito da Imagem: Enzo De Luca/ABI, Agência Boliviana de Informação)

Tradução de Pressenza

Presidente pede novas eleições na Bolívia e anuncia a renovação do Tribunal Supremo Eleitoral

O presidente Evo Morales convocou no domingo novas eleições gerais na Bolívia e anunciou a renovação do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), após o relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA), que realizou uma auditoria abrangente do processo eleitoral de 20 de outubro.

“Decidi convocar novas eleições nacionais para que o povo boliviano possa eleger democraticamente suas novas autoridades através do voto, incorporando novos atores políticos”, disse ele em entrevista coletiva no hangar presidencial.

Também indicou que nas horas seguintes a Assembléia Legislativa Plurinacional, de acordo com todas as forças políticas, estabelecerá os procedimentos para a renovação de todos os membros do Tribunal Supremo Eleitoral.

A conferência do Presidente segue-se à publicação do relatório preliminar da OEA que indica que “levando em conta as projeções estatísticas, é possível que o candidato Morales seja o primeiro e o candidato Carlos Mesa, da Comunidade Cidadã, o segundo”.

O binômio do Movimento pelo Socialismo (MAS) venceu as eleições com 47,8% dos votos e obteve uma diferença de 10,57 pontos em relação ao segundo, Mesa, resultados que este rejeita, que convocou mobilizações que levaram a atos racistas e violentos contra mulheres e povos indígenas, além da queima de instituições públicas e destruição da propriedade privada de algumas autoridades.

“A Bolívia vive momentos de conflito com o risco de graves confrontos entre bolivianos. Como presidente, minha principal missão é proteger a vida, preservar a paz, a justiça social, a estabilidade econômica e a unidade de toda a família boliviana”, disse ele.

Neste contexto, o Chefe de Estado, acompanhado por representantes de organizações sociais, instou o povo boliviano a “diminuir toda a tensão” registrada no país com a mobilização de grupos de choque convocados por opositores e grupos cívicos sob o lema de uma suposta defesa da democracia.

“Todos nós temos a obrigação de pacificar a Bolívia. Faço um apelo, o respeito entre famílias, o respeito pela propriedade privada, o respeito pelas autoridades, o respeito por todos os setores sociais”, exortou.

No dia anterior, o presidente Evo Morales denunciou à comunidade internacional que o plano golpista fascista realiza atos violentos com grupos irregulares que incendiaram as casas das autoridades departamentais de Chuquisaca e Oruro, além da propriedade de sua irmã Esther Morales.

Os atos de vandalismo foram sistematicamente executados nas últimas três semanas por grupos de oposição e de choque cívico que causaram ansiedade em várias regiões do país para exigir a demissão do presidente, no marco de um plano golpista denunciado pelo governo em nível internacional.

Categorias: Ámérica do Sul, Política
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.