Chile: foram presos Mario Aguilar e outros 38 professores que se manifestavam pacificamente

25.06.2019 - Redação São Paulo

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Grego

Chile: foram presos Mario Aguilar e outros 38 professores que se manifestavam pacificamente

Os policiais militares chilenos reprimiram os professores que se manifestavam com cartazes em frente ao Palácio do Governo, de forma pacífica e encabeçados pelo presidente do sindicato dos professores do país, Mario Aguilar.

Durante um ano, todos os professores do Chile debateram, analisaram e acabaram resolvendo uma petição de 12 pontos que os levou a uma greve nacional, já que o Ministério não queria resolver seus problemas e isso vem acontecendo há várias semanas. De fato, o ministro da Educação não só se recusou a negociar como também não recebeu os líderes para ouvir suas reivindicações e desqualificou a greve argumentando as motivações eleitorais e políticas de Mario Aguilar. “Isso é violência, é desqualificação, é não entender nada sobre a forma como os sindicatos trabalham ou a democracia interna que nos governa”, disseram os líderes de Valparaíso ao serem entrevistados hoje.

Pela força e levando-os para a prisão, os carabineiros de Santiago dissolveram a manifestação pacífica desta manhã na terça-feira, dia 25. Por volta das 13:30h, finalmente libertaram Mario Aguilar, mas não temos confirmação de que também libertaram seus outros companheiros.

Uma vez libertada a presidente da Associação de Professores, a ministra da Educação teve de ceder e, apesar de se ter recusado durante as quatro semanas de greve a juntar-se à mesa de negociações entre as duas partes em conflito, apelou amanhã, quarta-feira 26, às 9 horas, a Mario Aguilar e outros membros da direcção do sindicato.

“Agora vamos ver se existe uma vontade real por parte da Associação de Professores de pôr fim a esta greve que tem causado tantos danos às crianças mais vulneráveis na educação pública e que se estenderam politicamente durante as últimas semanas de uma forma totalmente incompreensível”, disse o Secretário de Estado.

Por sua vez, os professores aceitaram a proposta do primeiro encontro com o Ministro. “Vamos lá estar”, disse Mario Aguilar.

“Esperamos que nessa reunião a ministra da Educação traga propostas para uma solução deste conflito, ela sabe muito bem quais são os pontos de conflito, que são os pontos onde os professores rejeitaram a proposta anterior feita pelo subsecretário”, disse ele.

“Espero que esta seja uma mudança na política que o governo tem tido até agora e que entre em um caminho de diálogo e busca de uma solução para este conflito”, disse Aguilar, descartando uma possível politização da greve de professores.

Categorias: Ámérica do Sul
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.