Chile: foram presos Mario Aguilar e outros 38 professores que se manifestavam pacificamente

25.06.2019 - Redação São Paulo

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Grego

Chile: foram presos Mario Aguilar e outros 38 professores que se manifestavam pacificamente

Os policiais militares chilenos reprimiram os professores que se manifestavam com cartazes em frente ao Palácio do Governo, de forma pacífica e encabeçados pelo presidente do sindicato dos professores do país, Mario Aguilar.

Durante um ano, todos os professores do Chile debateram, analisaram e acabaram resolvendo uma petição de 12 pontos que os levou a uma greve nacional, já que o Ministério não queria resolver seus problemas e isso vem acontecendo há várias semanas. De fato, o ministro da Educação não só se recusou a negociar como também não recebeu os líderes para ouvir suas reivindicações e desqualificou a greve argumentando as motivações eleitorais e políticas de Mario Aguilar. “Isso é violência, é desqualificação, é não entender nada sobre a forma como os sindicatos trabalham ou a democracia interna que nos governa”, disseram os líderes de Valparaíso ao serem entrevistados hoje.

Pela força e levando-os para a prisão, os carabineiros de Santiago dissolveram a manifestação pacífica desta manhã na terça-feira, dia 25. Por volta das 13:30h, finalmente libertaram Mario Aguilar, mas não temos confirmação de que também libertaram seus outros companheiros.

Uma vez libertada a presidente da Associação de Professores, a ministra da Educação teve de ceder e, apesar de se ter recusado durante as quatro semanas de greve a juntar-se à mesa de negociações entre as duas partes em conflito, apelou amanhã, quarta-feira 26, às 9 horas, a Mario Aguilar e outros membros da direcção do sindicato.

“Agora vamos ver se existe uma vontade real por parte da Associação de Professores de pôr fim a esta greve que tem causado tantos danos às crianças mais vulneráveis na educação pública e que se estenderam politicamente durante as últimas semanas de uma forma totalmente incompreensível”, disse o Secretário de Estado.

Por sua vez, os professores aceitaram a proposta do primeiro encontro com o Ministro. “Vamos lá estar”, disse Mario Aguilar.

“Esperamos que nessa reunião a ministra da Educação traga propostas para uma solução deste conflito, ela sabe muito bem quais são os pontos de conflito, que são os pontos onde os professores rejeitaram a proposta anterior feita pelo subsecretário”, disse ele.

“Espero que esta seja uma mudança na política que o governo tem tido até agora e que entre em um caminho de diálogo e busca de uma solução para este conflito”, disse Aguilar, descartando uma possível politização da greve de professores.

Categorias: Ámérica do Sul
Tags: ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.