Justiça do Chile condena Igreja Católica a indenizar vítimas de abuso

23.10.2018 - São Paulo, Brasil - Opera Mundi

Justiça do Chile condena Igreja Católica a indenizar vítimas de abuso
Fernando Karadima. Captura de video.

Vítimas do ex-padre Fernando Karadima receberão cerca de R$ 2,4 milhões após décadas de exploração sexual; processo também envolve cardeais acusados de acobertamento
 
O Tribunal de Apelações de Santiago condenou a Arquidiocese da capital chilena a indenizar em 450 milhões de pesos (cerca de R$ 2,4 milhões) três vítimas de abuso sexual, cometido pelo ex-sacerdote Fernando Karadima. A informação foi divulgada neste domingo (21/10) pelo jornal La Tercera.

O processo havia sido revogado e voltou à pauta na última semana por meio de uma apelação feita pelos juízes Miguel Vásquez, Javier Moya e Jaime Guerrero.  Segundo o jornal, uma carta enviada pelo cardeal Francisco Javier Errázuriz a outro membro da igreja em 2009 teria motivado a decisão, uma vez que o documento detalhava a omissão diante dos abusos cometidos por Karadima.

A ação foi movida por Juan Carlos Cruz, José Andrés Murillo e James Hamilton, que alegam terem sido abusados sexualmente durante décadas pelo clérigo chileno. Em setembro, o papa Francisco expulsou formalmente o ex-padre de suas atividades na Igreja, fato que aumentou a crise vivida pelos católicos chilenos em 2018.

Em documento divulgado pelo La Tercera, os juízes falam que a Justiça chilena está “na mesma linha” do Vaticano em relação aos casos de abuso sexual. “A Justiça chilena e o Vaticano estão na mesma linha para acabar com a cultura de abuso e acobertamento, cultura da qual os cardeais são fiéis representantes”, diz.
Além do processo direto contra Karadima, os três homens também acusaram Errázuriz e outro cardeal, Ricardo Ezzati, de acobertamento. Ao se confirmar, a indenização será a primeira reparação financeira feita pela Igreja do Chile diante do escândalo sexual que levou à renuncia de 34 bispos ao longo do ano.

O caso Karadima

O ex-sacerdote Fernando Karadima foi declarado culpado em 2011 por cometer abuso sexual a menores de idade nas décadas de 1980 e 1990. No entanto, em janeiro passado, o papa Francisco chegou a chamar de caluniosas as acusações de acobertamento.

Em abril, após enfrentar críticas de vítimas de Karadima, Francisco voltou atrás, reconhecendo o erro e falando da “dor e vergonha” pela situação envolvendo representantes católicos.

Em setembro, o clérigo foi expulso pelo papa, apesar de nunca ter sido condenado diante da prescrição de seus crimes.

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos
Tags: , , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.