Carta Aberta aos Ativistas Brasileiros

14.11.2016 - TRANSCEND Media Service

Carta Aberta aos Ativistas Brasileiros

Robert J. Burrowes

Quando soube da remoção, através de um golpe de estado jurídico/parlamentar, da líder democraticamente eleita à Presidência da República do Brasil, a minha raiva, uma vez mais, aflorou. De novo? Não!!

No entanto, a julgar pelos protestos que têm sido noticiados, bem como pelas mobilizações por influentes líderes comunitários em defesa da democracia, nutro grandes esperanças para o Brasil. Tendo sido um ativista da não-violência por muitos anos, gostaria de oferecer o meu apoio para que os ativistas brasileiros possam desenvolver uma estratégia não-violenta que irá aumentar suas chances de sucesso.

Em 31 de agosto de 2016, elementos da elite política brasileira aplicaram um golpe jurídico-parlamentar para remover a presidenta democraticamente eleita, Sra. Dilma Rousseff, numa tentativa desesperada de impedir a continuação de investigações de corrupção em que estariam claramente implicados. Leia ‘Democracy Is Dead in Brazile ‘The Real Reason Brazil’s Democratically Elected Dilma Rousseff Was Impeached‘.

Nos bastidores, é claro, elites dos EUA participaram ativamente do golpe. Com grandes quantidades de recursos petrolíferos, fósseis, minerais e florestais, bem como de reservatórios de água fresca, altamente rentáveis em jogo, as elites Americanas do Norte (e suas elites aliadas) não iriam ficar de braços cruzados enquanto o Brasil e o grupo BRICS se esforçavam para criar um mundo mais justo e humano para, pelo menos, alguns dos seus habitantes. Leia ‘Impeachment of Dilma Rousseff: Brazil’s Parliamentary Coup and the “Progressive Media“‘.

Apesar do que aconteceu, e como demonstram os protestos de rua, voces mostram que têm consciência e de que não terão de aceitar tal desfecho. Vocês sabem também que não têm de esperar até a eleição 2018 para tornar patente sua desaprovação do golpe mencionado.

Na realidade vocês podem reverter o golpe e restaurar a presidenta eleita em 2010 para terminar o seu mandato. E é isso que João Pedro Stédile, um dos fundadores e líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Brasil tem-nos exortado a fazer. Leia ‘MST: Social Movements Must Rise up Against Coup Govt in Brazil.

Se fizerem isto vocês terão amplo apoio dos seus aliados de solidariedade em todo o mundo, como indicado nesta carta: ‘Noam Chomsky, Oliver Stone Sign Letter Against Brazil’s Coup’.

Dado o meu apoio ao seu direito de eleger um presidente da sua escolha (e removê-lo se necessário, em uma eleição posterior), eu os convido a considerarem o planejamento e implementação de uma estratégia não violenta para remover os golpistas do governo e restaurar a presidenta eleita.

Caso isto os interesse, eu delineei uma estratégia para a remoção de golpistas no site Nonviolent Defense/Liberation Strategy, que é uma apresentação simplificada de uma explicação mais detalhada oferecida no livro The Strategy of Nonviolent Defense: A Gandhian Approach.

Se quiserem ter uma ideia dos doze componentes da estratégia que precisarão, poderão vê-las em Nonviolent Strategy Wheel. Se quiserem uma dica de como tal estratégia funciona (a nível tático), poderão obtê-la em  ‘The Political Objective and Strategic Goal of Nonviolent Actions’.

É imperativo que os objetivos estratégicos incluam a mobilização de pessoas em posições chave para incentivarem a polícia e os militares a retirarem o seu apoio aos golpistas, o que será útil para incentivar também importantes corporações locais e internacionais a faze-lo. Nestas se incluem a indústria amamentista, a grande mídia, bancos, extração de combustíveis fósseis, minerais estratégicos, produtos florestais e de água doce.

Claro que, como sugerido acima, será necessária uma estratégia global e isso pode levar algum tempo para planejar e implementar. No entanto, se planejarem e implementarem uma estratégia abrangente, terão amplas oportunidades de reverter este golpe com um mínimo de perda de vidas. Por exemplo, o artigo ‘Nonviolent Action: Minimizing the Risk of Violent Repression‘ identifica 20 coisas que poderão ser feitas para minimizar o risco de que suas ações sejam violentamente reprimidas. Este artigo foi escrito depois de um estudo cuidadoso, ao longo da história, de ações não violentas recebidas com violência extrema.

Objectivos Estratégicos sugeridos para uma estratégia de não-violencia para o Brasil

Objectivos estratégicos normalmente indicados para resistir a um golpe político ou militar incluem os abaixo referidos, embora tal lista possa ser  mais longa caso as organizações individuais sejam especificadas separadamente.
É lógico que certos grupos de resistência ao golpe tomem a responsabilidade de focar o seu trabalho em apenas um ou dois dos objectivos estratégicos. É da responsabilidade da liderança estratégica da luta garantir que cada um dos objetivos sejam identificados e priorizados de acordo com a compreensão precisa das circunstâncias no Brasil.

(1) Para fazer com que grupos de mulheres [organizações de mulheres WO1, WO2, WO …] participem da estratégia de libertação pela atuação em [ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas]. Ações não-violentas simples seriam, por exemplo, o uso de um símbolo nacional (como um emblema da bandeira brasileira ou fitas nas cores nacionais), o boicote de todos os meios de comunicação corporativos que apoiam o golpe de estado e / ou retirar todos os fundos dos bancos que apoiam o golpe. Ver a lista de possíveis ações que você pode tomar aqui: ‘198 Tactics of Nonviolent Action.

(2) Para fazer com que os trabalhadores [sindicatos ou organizações de trabalho T1, T2, T …] participem da estratégia da ação [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas ]. Por exemplo, a retirada de trabalhadores ou serviços a bancos/empresas controlados ou de propriedade de elites estrangeiras a operar no Brasil.

(3) Para fazer com que os pequenos agricultores e trabalhadores rurais em [organizações F1, F2, F …] participem em [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e do programa / ou construtiva atividades].

(4) Para fazer com que os membros de [denominações religiosas R1, R2, R …] no Brasil participem [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(5) Para fazer com que os membros de comunidades étnicas [EC1, EC2, CE …] adiram [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(6) Para fazer com que ativistas, artistas, músicos, intelectuais e outros grupos sociais fundamentais [organizações O1, O2, O …] participem [sua ação não-violenta indicada(s)/campanha(s ) e ou atividades do programa / construtivas].

(7) Para fazer com que os alunos [em organizações estudantis S1, S2, S …] participem [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(8) Para fazer com que soldados/militares [em unidades militares M1, M2, M …] se recusem a obedecer ordens dos golpistas para prender, agredir, torturar e disparar contra ativistas não violentos e os outros cidadãos brasileiros.

(9) Para fazer com que a polícia [em unidades policiais P1, P2, P …] se recusem a obedecer ordens dos golpistas para prender, assaltar, torturar e disparar contra ativistas não violentos e os outros cidadãos.

(10) Para fazer com que pequenos empresários [organizações SB1, SB2, SB …] se recusem a cooperar com os golpistas, participando em [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e do programa / ou construtiva atividades].

(11) Para fazer com que os empresários que operam franquias multinacionais em [organizações MF1, MF2, MF …] no Brasil se recusem a cooperar com os golpistas, participando em [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou programa construtivo atividades].

(12) Para fazer com que os empresários que gerenciam agências locais de grandes corporações multinacionais em [organizações MNC1, MNC2, MNC …] no Brasil se recusem a cooperar com os golpistas, participando em [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(13) Para fazer com que grandes agricultores e pecuaristas em [organizações FO1, FO2, FO …] no Brasil se recusem a cooperar com os golpistas, participando em [sua ação não-violenta indicado (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas ].

(14) Para fazer com que gestores e trabalhadores técnicos estrangeiros [que trabalham para empresas de extração de recursos X1, X2, X …] [dos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] retirem-se do país.

(15) Para fazer com que os trabalhadores [em organizações sindicais ou de trabalho T4, T5, T …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] interrompam o fornecimento de armas militares para o Brasil.

(16) Para fazer com que os trabalhadores em [sindicatos ou organizações de trabalho T7, T8, T …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] interrompam o transporte de [pessoal militar / armas militares ] para o Brasil.

(17) Para fazer com que os trabalhadores em [sindicatos ou organizações de trabalho T10, T11, T …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem a luta e recusem-se a lidar com [a recurso específico] extraído e exportado do Brasil.

(18) Para fazer com que os trabalhadores [nos sindicatos ou organizações de trabalho T13, T14, T …] trabalhando em [os Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem a sua luta de libertação através da participação em [seu nomeado ação não-violenta (s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(19) Para fazer com que as mulheres [organizações WO4 das mulheres, WO5, WO …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem a causa através da participação em [sua ação não-violenta nomeado ( s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(20) Para fazer com que os membros do [denominações religiosas R4, R5, R …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem e participem em [sua ação não-violenta nomeado ( s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(21) Para fazer com que os ativistas de solidariedade em [organizações ativistas A1, A2, A …] em [Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem e participem em [sua ação não-violenta nomeado (s) campanha / (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(22) Para fazer com que os membros de [suas comunidades exiladas E1, E2, E …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem e participem em [sua ação não-violenta nomeado (s) campanha / (s) e / ou atividades do programa construtivas].

(23) Para fazer com que os alunos em [organizações alunos S4, S5, S …] em [nos Estados Unidos e outros países relevantes, das elites que apoiam os golpistas no Brasil] apoiem r participrm em [sua ação não-violenta nomeado ( s) / campanha (s) e / ou atividades do programa construtivas].

O povo brasileiro tem desempenhado um papel inspirador na nossa luta por um mundo que poderia ser de paz, justiça e sustentabilidade ambiental. Este golpe jurídico/parlamentar deve ser encarado como um revés temporário. Vocês têm aliados solidários pelo mundo todo e muitos de nós estamos dispostos a ajudá-los, se vocês decidirem deixar-nos desempenhar um papel também.

Pela libertação do Brasil!

Categorias: Ámérica do Sul, Opinião, Política

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.