Diálogos com Governo colombiano começarão em dois meses: ELN

02.04.2016 - Prensa Latina

Diálogos com Governo colombiano começarão em dois meses: ELN

Bogotá, 1 abr (Prensa Latina) O chefe da delegação do ELN nos diálogos com o Governo colombiano, Antonio García, assegurou que dentro de dois meses começarão no Equador as discussões sobre o primeiro ponto da agenda pactuada, resenhou hoje o diário El Tiempo.

Vamos conversar amanhã e passado com o Executivo sobre alguns temas operacionais, nesses encontros pensamos definir com precisão a data exata da reunião em Quito, primeiro anfitrião de tais diálogos (para terminar o conflito mediante uma saída acordada), acrescentou o porta-voz do Exército de Libertação Nacional (ELN).

Ao se referir à decisão de realizar também em outros países da região (Chile, Cuba, Brasil e Venezuela), García comentou que ainda que pareça mais complexo, será mais prático politicamente, pois o respaldo internacional será maior.

Não há uma só voz no movimento que não esteja de acordo com o que estamos fazendo, enfatizou o chefe guerrilheiro depois de ratificar o compromisso do ELN com a busca da paz.

Na última quarta-feira, de Caracas, representantes governamentais e desse grupo rebelde, segundo em importância na nação, anunciaram um acordo para iniciar diálogos públicos após uma fase exploratória e confidencial.

Adicionalmente, divulgaram a agenda das futuras reuniões, que estarão centradas na participação da população na construção de um cenário de distensão e em transformações democráticas e socioeconômicas.

Também incluem como tema central a satisfação dos direitos das vítimas deixadas pelo longo conflito, prolongado durante mais de meio século, e aspectos próprios do fim da guerra: cessar-fogo bilateral, desmobilização e garantias de segurança para os integrantes do referido grupo na etapa pós bélica, entre outros.

Há três meses fizemos um pleno em nossas fileiras e todo mundo esteve de acordo com esta agenda que estamos discutindo, manifestou García em declarações ao jornal de circulação nacional.

O Governo esclareceu que assim como o processo desenvolvido em Cuba com as também insurgentes FARC-EP, os debates com o ELN começarão em meio a confrontos militares.

No entanto, os dirigentes dessa última organização são partidários de alcançar um cessar de hostilidades de ambos lados a fim de propiciar o clima adequado para os diálogos.

De acordo com cifras oficiais, o conflito ocasionou a morte de 300 mil pessoas, mais de seis milhões permanecem deslocadas de seus lugares de origem e 45 mil estão desaparecidas.

As reuniões com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (FARC-EP) já duram três anos e avançam para o que pode ser sua etapa final, não isentas de controversas análises.

Categorias: Ámérica do Sul, Internacional, Não violência, Paz e Desarmamento, Política
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.