Democracia a la carte

10.03.2014 - Gilberto Rodrigues

Democracia a la carte
(Crédito da Imagem: Imagen: http://bit.ly/1elfq6s)

 

Ao entrar no restaurante o freguês se acomoda na mesa e, tão logo o garçom chega, fica sabendo que há um prato do dia. Em geral, ele é mais barato e, possivelmente, será mais rápido. Mas pode ser que essa oferta não agrade o gosto do freguês, então a opção é pedir a la carte.

Essa situação se repete aos milhares e milhões, todos os dias, em todos os lugares do mundo. Com a democracia parece estar passando o mesmo, senão na mesma quantidade, com a mesma regularidade. Como pode ser isso?

O caso da Ucrânia é ilustrativo. O Presidente ucraniano tinha maioria no parlamento, foi pressionado pela massa nas ruas de Kiev e teve que fazer um acordo de governabilidade. Até aí, democracia do dia. Mas, diante da ameaça da turba, o presidente fugiu para um lugar seguro e, em seguida, o Parlamento aprovou a sua destituição, sem direito à defesa. Democracia a la carte.

Do outro lado do país, a minoria russa, temerosa de sofrer represálias, clama pelo apoio de Moscou. Este, que mantem bases militares na Criméia, amparada em acordo bilateral com a Ucrânia, desloca suas tropas para proteger a segurança da minoria russa e de suas instalações bélicas. O Parlamento da Criméia, que é uma região autônoma da Ucrânia, aprova por unanimidade um referendo para votar por sua independência e possível união com a Rússia. Tudo democracia a la carte.

O detalhe é que a carta do restaurante democrático tem opções para todos os gostos, o que alimenta a disputa entre as potências que querem que todos comam o prato do dia, quer dizer, a democracia do dia, desde que elaborado pelo seu chef.O que está ocorrendo é que não querendo comer o prato do dia, porque não atende o seu gosto, o freguês opta pelo menu a la carte, que é mais custoso e demorado e, no caso da Ucrânia como em outros, contestado e ameaçado sob acusação de ser anti-democrático e ilegal.

A democracia não deveria ser um joguete na mão das potências. Mas de fato ela é, na medida em que não existe um modelo aceito e universal de democracia, mais além das eleições periódicas e limpas. O que é Estado de Direito? As respostas são muitas e variadas. Mas, pelo menos, a democracia está no menu das relações internacionais, mesmo que, atônito, o freguês ouça a sentença do garçom: “Infelizmente não temos esse prato hoje”.

Categorias: Opinião, Política
Tags: , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.