Fórum Mundial de Educação começa em 21 de janeiro

13.01.2014 - Paulo Genovese

Fórum Mundial de Educação começa em 21 de janeiro
(Crédito da Imagem: Imagem: http://www.fmecanoas2014.com.br/pt)

O Fórum Mundial de Educação (FME) é parte do processo do Fórum Social Mundial (FSM), que se iniciou em 2001 e passou a constituir-se no mais amplo espaço para a articulação de iniciativas sociais, para o desenvolvimento do pensamento crítico e a construção de alternativas à ordem neoliberal, sob a ideia comum de que “Outro Mundo é Possível”.

O FME é um espaço aberto de encontro que busca o aprofundamento da reflexão, o debate democrático de ideias, a formulação de propostas, o intercâmbio livre de experiências e a articulação para as ações de organizações e movimentos sociais que se opõem ao neoliberalismo, ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo. Está empenhado na construção de outra educação para outro mundo possível, centrada no ser humano e pela justiça social e ambiental.

 

Convocatória

A situação da educação nas regiões metropolitanas é diversa, como diversas são, também, as políticas que sobre elas se desenvolvem, embora todas compartilhem problemas comuns. Tanto de países como Chile em que a municipalização da educação respondia aos objetivos descentralizadores e privatizadores das políticas neoliberais, quanto a países como a França, onde a escola estatal republicana era vista como garantia de uma escola pública de qualidade, o certo é que as regiões metropolitanas vêm sofrendo as consequências da dispersão dos recursos ou a falta deles. Há anos vem crescendo o debate sobre o papel da política educativa a ser construída para as mesmas.

Este é um dos desafios que o FME PEDAGOGIA, REGIÃO METROPOLITANA E PERIFERIAS (FMEPRMP) deseja ser: um espaço de mobilização e participação para canalizar as diferentes visões que apontem as cidades capazes de formar pessoas comprometidas com o desenvolvimento e o bem-estar da comunidade. Um espaço que permita aprender das experiências que souberam distribuir os recursos disponíveis para melhorar a qualidade educativa, construir infraestruturas sustentáveis e dignas, incentivar uma cultura que potencie a participação e o compromisso das cidadãs e cidadãos com o desenvolvimento sustentável das regiões metropolitanas e construir uma política pública que permita avançar para uma educação de outro mundo possível.

 

Objetivos do FMEPRMP

O objetivo deste fórum é fazer possível um amplo debate e a elaboração de alternativas, na qual participem os diferentes setores sociais da comunidade educativa e os que se relacionem com ela, com a finalidade de incluir o máximo de perspectivas e posicionar a educação nesse avanço rumo a uma sociedade mais justa e sustentável, como uma prioridade e responsabilidade de toda a sociedade. E nesse sentido, nos dirigimos às organizações e pessoas relacionadas com a educação formal, não formal e informal, reafirmando a Declaração de Dakar 2011:

1 – O direito a educação como direito humano fundamental e inter-relacionado com os direitos econômicos, sociais, políticos, culturais e ambientais (enfoque transversal);

2 – O reconhecimento das lutas por uma educação cidadã, pela democracia, pelos novos desafios do trabalho, pela justiça social e a igualdade na perspectiva da educação ao longo da vida;

3 – Uma educação pública como responsabilidade do Estado, laica e gratuita, da educação infantil à universidade e ao longo de toda a vida, e pela qual estamos lutando a partir das perspectivas sindicais, das associações de mães e pais, de estudantes e, em geral, da sociedade civil organizada;

4 – A educação inclusiva de todas as diversidades étnicas, as de gênero, geracional, territorial, de orientação sexual, de necessidades especiais, incluindo a educação no meio rural, etc.;

5 – A reivindicação da pedagogia de Paulo Freire e outras teorias pedagógicas baseadas no reconhecimento dos saberes locais, na educação popular, cidadã, educação para a paz e a recuperação da história dos povos;

6 – O desenvolvimento de estratégias de enfrentamento a governos locais, nacionais e organismos internacionais, contra a privatização e a mercantilização da educação, a partir da perspectiva da educação como direito humano inalienável;

7 – O fortalecimento dos movimentos sociais que lutam pela educação como direito;

8 – Nosso repúdio à impertinência da educação colonialista, especialmente nos países africanos, que desconhecem e desprezam os saberes e histórias locais;

9 – A produção de conhecimento aplicável, significativo que responda aos contextos locais, em questões tais como migração, deslocamento, guerra e toda forma de discriminação, o que inclui o direito á educar-se na própria língua;

10 – A solicitação expressa de atendimento a alunos, alunas, professores e professoras que vivem em condição de guerra, exigindo a proteção às suas vidas e o respeito aos seus direitos humanos;

11 – O fortalecimento da luta pela garantia de melhores condições de trabalho docente, considerando a deterioração observada em muitos lugares das condições de trabalho dos trabalhadores e trabalhadoras em educação e das condições do ensino;

12 – As exigências para atender as situações ligadas ao pertencimento (língua própria, currículos), o acesso (instalações adequadas), qualidade (educação centrada nas potencialidades humanas e em harmonia com a natureza);

13 – A necessidade de situar a luta pelo direito à educação no contexto da crise do modelo civilizatório, promovendo a cidadania ativa e a resistência ao modelo imposto pelos organismos internacionais. Reconhecer que a democratização do saber é um modelo básico na democratização da sociedade;

14 – A urgência em dotar de conteúdos significativos e significantes o conceito de qualidade da educação, acessível a todas e todos sem discriminação, solidária e ao longo da vida.

Lugar de realização e datas

Universidade Luterana do Brasil
Canoas / Rio Grande do Sul – Brasil
Dias 21, 22 e 23 de Janeiro de 2014.

Site Oficial do Fórum: programação, como participar e outras informações

Fonte: http://www.fmecanoas2014.com.br/pt 

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Educação, Internacional
Tags: , , ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.