Washington espiou 35 líderes mundiais

25.10.2013 - Radio Moçambique

Washington espiou 35 líderes mundiais
(Crédito da Imagem: Foto: Wikimedia Commons Blog do Planalto)

Além de Angela Merkel ou Dilma Rousseff, a Agência de Segurança dos Estados Unidos (NSA) terá tido outros telemóveis de líderes mundiais sob escuta. O jornal britânico “The Guardian” avança que terão sido 35.

Um responsável da administração norte-americana terá transmitido os contactos telefónicos de 35 dirigentes mundiais à NSA, escreve o jornal britânico a partir de informações recolhidas nos documentos desviados por Edward Snowden.

Segundo avança o “The Guardian”, alguns documentos, que seriam confidenciais, encorajam os dirigentes da Casa Branca, Senado e Pentágono a passar os seus contactos de forma a que a NSA tenha os números de telefone dos dirigentes políticos estrangeiros no seu sistema de vigilância.

Cerca de 200 números terão sido partilhadas com a agência de segurança e, desses, 35 pertenciam a líderes mundiais, escreve o jornal, que, no entanto, não avança nomes.

Um facto que vem provocar ainda mais tensão neste caso das escutas dos Estados Unidos, depois de a chanceler alemã Angela Merkel ter falado com o presidente norte-americano Barack Obama por suspeitar que o seu telemóvel esteve sob escuta entre outubro de 1999 e o último mês de julho.

Antes, já a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o actual e antigo presidentes do México, Enrique Pina Nieto e Felipe Calderon, respectivamente, haviam mostrado o seu desagrado por alegadamente terem sido escutados pela administração norte-americana.

Jay Carney, porta-voz da Casa Branca, recusou-se esta quinta-feira comentar “acusações específicas”. Na sua conferência de imprensa diária, recusou-se a responder à pergunta se os serviços secretos norte-americanos espiaram no passado o telefone de Merkel e argumentou que o Governo não vai falar publicamente sobre isso. No entanto, admitiu que os episódios que têm vindo a público, como o de Angela Merkel, provocaram “tensões” na relação com alguns países, mas garantiu que estas questões são tratadas por via de canais diplomáticos.

Na quarta-feira, o mesmo porta-voz havia dito que os Estados Unidos “não vigiam e não vigiarão as comunicações da chancelaria”.

Esta quinta-feira ainda, à margem da cimeira europeia que decorre até hoje em Bruxelas, Angela Merkel discutiu o assunto com o presidente francês François Hollande. Ambos reafirmaram o carácter inaceitável da existência de escutas pelos EUA.

Categorias: América do Norte, Europa, Internacional
Tags: , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

O Princípio do fim das armas nucleares

2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.