Movimentos festejam resultado de manifestação na periferia de São Paulo

26.06.2013 - Redação São Paulo

Movimentos festejam resultado de manifestação na periferia de São Paulo
(Crédito da Imagem: Foto: Atona Zona Suld e São Paulo | Mídia Ninja)

 

Começou pouco depois das 7h de hoje (25) o ato público organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), o grupo Periferia Ativa e o Movimento Passe Livre (MPL) em bairros da periferia paulistana. O objetivo é reforçar as ações por melhoria dos serviços públicos e contra a violência policial. O protesto antecede reunião de representantes do movimento com a presidenta Dilma Rousseff, prevista para hoje – o horário foi alterado das 14h para as 16h30.

Na zona sul e na zona leste, os ativistas pretendem ressaltar aos governos municipal, estadual e federal algumas das antigas reivindicações dos moradores dos bairros mais afastados da cidade. “Há muito tempo a população da periferia luta por condições dignas dos serviços públicos e vamos marcar mais uma vez nossa luta hoje”, disse Guilherme Doulos, Coordenador Nacional do MTST.

Às 7h45, os manifestantes deixaram o entorno da estação de Capão Redondo em direção à de Campo Limpo, onde centenas de pessoas também se concentravam desde as 7h. Acompanhada de perto por algumas viaturas da PM, a passeata seguiu pela Avenida Carlos Caldeira. O movimento também foi organizado em Guaianazes, extremo leste da cidade, a partir da estação de trens da CPTM no bairro.

Por volta das 8h20, a organização do protesto recebeu telefonema do Palácio dos Bandeirantes, comunicando que o governador Geraldo Alckmin os receberia para discutir a pauta da manifestação.

Mais tarde, às 8h50, o grupo que partira do Capão Redondo uniu-se ao formado no Campo Limpo e a marcha partiu em direção à sede do governo estadual, para onde um grupo de representantes do MTST, do Periferia Ativa e do MPL já rumava para encontrar Alckmin.

No Palácio dos Bandeirantes, os ativistas apresentaram a pauta de reivindicações e ouviram do governador o comprometimento deste com a construção da estação Jardim Ângela do metrô, com prazo de dois anos para a conclusão das obras e o reajuste do auxílio-aluguel do estado, dos atuais R$ 300, para R$ 400.

Alckmin também prometeu estudos para ampliar o funcionamento do metrô da região em uma hora diariamente e para fazer os ônibus da EMTU circularem 24 horas por dia. Para Natalia Szermeta, do MTST, o movimento tem o que comemorar com a manifestação de hoje. “Nunca o governo de São Paulo havia recebido representantes de movimento sociais para dialogar. E isso foi resultado direto das mobilizações e protestos do povo na rua. É uma vitória da democracia, das lutas que pautam os movimentos sociais há muito tempo”, disse

Representantes do MTST se preparam agora para seguir a Brasília, onde encontram Dilma Rousseff para nova rodada de reivindicações.

 

Por RBA

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Internacional
Tags: , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

Dia da Não Violência

Dia da Não Violência

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.