Aniversário da assinatura da 4a Convenção de Genebra que coloca limites às guerras, protegendo especialmente aos civis

13.08.2009 - Genebra - Pressenza IPA

O 12 de agosto comemora-se o 60o aniversário da assinatura da 4a Convenção de Genebra, que regula a proteção de civis, presos, feridos e trabalhadores humanitários durante conflitos bélicos. As Convenções de Genebra e seus Protocolos Adicionais são a espinha dorsal do Direito Internacional Humanitário (DIH), que determina os limites aos meios e métodos de guerra.

Os 194 Estados assinaram as Convenções, tornando-as universais. O Brasil ratificou as quatro Convenções em 1957.

Os tratados foram elaborados durante quatro Convenções de Genebra que aconteceram de 1864 a 1949.

**A quarta Convenção** foi escrita em 1949. Ela revisou as três Convenções anteriores e acrescentou uma quarta, relativa à proteção dos civis em período de guerra.
Quando se fala hoje em dia da Convenção de Genebra, refere-se ao resultado desta Convenção.

De acordo com esta Convenção, os civis são claramente protegidos de toda hostilidade:

• eles não podem ser sequestrados, para servir, por exemplo, de “escudos humanos”;

• toda e qualquer medida de retorsão visando os civis ou seus bens é estritamente proibida

• as punições coletivas são estritamente proibidas.

**Convenção de Genebra – versão atual**

§1- Os países em guerra não podem utilizar armas químicas uns contra os outros.

§2- O uso de balas explosivas ou de material que cause sofrimento desnecessário nas vítimas é proibido.

§3- O bombardeio de balões com projéteis é proibido.

§4- Prisioneiros de guerra devem ser tratados com humanidade e protegidos da violência. Não podem ser espancados ou utilizados com interesses propagandísticos.

§5- Prisioneiros de guerra devem fornecer seu nome legítimo e patente. Aquele que mentir pode perder sua proteção.

§6- As nações devem identificar os mortos e feridos e informar seus familiares.

§7- É proibido matar alguém que tenha se rendido.

§8- Nas áreas de batalha, devem existir zonas demarcadas para onde os doentes e feridos possam ser transferidos e tratados.

§9- Proteção especial contra ataques será garantida aos hospitais civis marcados com a cruz vermelha.

§10- É permitida a passagem livre de medicamentos.

§11- Tripulantes de navios afundados pelo adversário devem ser resgatados e levados para terra firme com segurança.

§12- Qualquer exército que tome o controle de um país deve providenciar comida para seus habitantes locais.

§13- Ataques a cidades desprotegidas são proibidos.

§14- Submarinos não podem afundar navios comerciais ou de passageiros sem antes retirar seus passageiros e tripulação.

§15- Um prisioneiro pode ser visitado por um representante de seu país. Eles têm o direito de conversar reservadamente, sem a presença do inimigo.

**Violação das Convenções**

Todo ato de violação pelas nações que ratificaram as Convenções de Genebra pode conduzir a um processo diante da Corte Internacional de Justiça (CIJ) / Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) ou diante da Corte Penal Internacional (CPI) / Tribunal Penal Internacional (TPI).

**Terrorismo e pontos pendentes**

Nos últimos anos, a relevância do DIH tem sido questionada em face à crescente complexidade dos conflitos armados e à dificuldade de distinguir entre combatentes e civis, bem como a fenômenos como o terrorismo e guerras assimétricas. Não restam dúvidas de que as regras existentes do DIH continuam relevantes e que conseguir o cumprimento do Direito continua sendo o principal desafio. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) analisa todas as possíveis maneiras de aumentar esse cumprimento.”

Categorias: Assuntos internacionais, Europa

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.