Denunciam o governo da Cidade de Buenos Aires na CIDH

04.05.2020 - Argentina - Redacción Mar del Plata

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão

Denunciam o governo da Cidade de Buenos Aires na CIDH
(Crédito da Imagem: La Poderosa)

Apesar do silêncio do Governo da Cidade de Buenos Aires e dos meios massivos de comunicação, neste domingo, dia 3, confirmaram-se 182 infectados por Covid 19 nas “favelas” da capital argentina. Este é o inevitável resultado das condições em que vivem milhares de famílias na cidade mais rica do país.

Hoje a Organização Social La Poderosa difunde a carta que Nora Cortiñas e Adolfo Pérez Esquivel, reconhecidos lutadores pelos direitos humanos, encabeçam para a CIDH reclamando uma solução imediata.

O documento começa fazendo um apelo às autoridades, aos meios de comunicação e à sociedade de um modo geral, que atentem para o quadro de violação dos direitos humanos de mais de 50 mil habitantes da Villa 31 que – no gravíssimo contexto desta pandemia – não tem água há 9 dias. “Nenhum problema com a empresa prestadora do serviço justifica isso”, afirmam.

As condições de vida da primeira vítima mortal do bairro evidenciam o problema: “vivia num cômodo de nove metros quadrados, com seu marido de 85 anos e com sua filha que contraiu o vírus e ainda compartilhava o mesmo banheiro com outras 11 pessoas.”

A Cidade de Buenos Aires tem a mesma gestão já faz 13 anos, por isso, frente a “semelhantes condições de pobreza estrutural”, os assinantes da carta dirigem perguntas ao Chefe do Governo: “Poderia ele ignorar isso? Não. Mas isso poderia ser ocultado? Sim.” De fato, a informação sobre o contágio crescente nos bairros populares foi ocultada e só se fez pública este fim de semana, quando os casos tinham passado de 57 para 182 em quatro dias. O documento também questiona o papel dos meios de comunicação: “Como os meios informativos puderam, durante todos esses dias, repetir o mesmo dado, sem se perguntarem?” E acrescenta: “como a pauta oficial pode silenciar um crime tão brutal?”.

As condições de amontoamento em que vivem os habitantes dessas “favelas” torna indiscutível o fato de que eles passam a conformar um “grupo de risco massivo”. “Será que  Rodríguez Larreta (chefe do governo portenho) não sabe que ninguém pode se ensaboar a cada duas horas, se passa uma semana inteira sem água?”

O governo da Cidade de Buenos Aires e o governo nacional, de signos opostos, encararam de forma conjunta e em consenso as medidas para enfrentar a pandemia.  A carta aplaude essa aproximação, mas também faz uma advertência para que “nesse marco de convivência saudável, não se cubra, sob nenhuma circunstância, o problema com um manto de silêncio”. O que dirá sobre isso o governo de Alberto Fernández?

Antes de mostrar as assinaturas de organizações e personalidades de todos os campos que acompanham a denúncia, o documento finaliza dizendo: “necessitamos que aqueles que tem a responsabilidade de governar deixem de olhar para outro lado e assumam o papel de zeladores do direito à vida”.

“…Todas e todos, devemos esboçar alguma reação. Eis aqui a nossa!”.

Categorias: Ámérica do Sul, Direitos Humanos, Opinião
Tags: , , , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.