Claudio Tedeschi: um empreendedor dentro da sociedade civil

13.07.2014 - Olivier Turquet

This post is also available in: Italiano

da www.dismeco.it

Claudio Tedeschi é um empreendedor. A sua Dismeco é uma empresa líder na reciclagem de equipamentos elétricos. Ele foi chamado para dar uma mão à Messinambiente [empresa responsável pela coleta de lixo nas cidades de Messina e Taormina, na região da Sicília, na Itália], de Alessio Ciacci, e respondeu oferecendo uma consultoria gratuita.

 

Claudio, em que consiste a consultoria?

Consiste em fornecer suporte técnico, que é o forte da minha experiência industrial neste setor. Gostaria de introduzir uma visão estratégica focada nos objetivos de coleta, algo que não é muito usual nas abordagens operativas de uma sociedade com gestão pública. Concretamente, monitorar os fluxos de interceptação do Lixo de Aparelhos Eletroeletrônicos (RAEE, na sigla em italiano), abrindo, por exemplo, as estações ecológicas municipais à Grande Distribuição Organizada; ou envolver as Associações de Classe para que tais materiais possam ser enviados à Messinambiente, através de acordos ou programas. Os RAEE são um tipo de lixo que muitas vezes têm um valor econômico positivo e podem ser usados pela Messinambiente para gerar rendimentos tangíveis, uma vez que seja identificada uma cadeira produtiva interessada.

Porque gratuita? Qual é a visão que está na base do seu trabalho e desta oferta generosa?

Sempre fui um entusiasta da importância do papel dos empreendedores na sociedade civil. Acredito que o papel do empreendedor deve ser entendido como uma disponibilidade à subsidiariedade em relação à atividade econômica geral que se desenvolve no território. Sob esta ótica, a empresa deve desenvolver uma função proativa consigo mesma, de forma simbiótica e osmótica com a área na qual opera, e com os cidadãos que a habitam.

Optar por “lixo zero” requer tecnologia e criatividade: você poderia nos contar sobre a sua experiência?

O projeto denominado “Borgo Ecologico” (®) está posicionado, fisicamente, na área da antiga fábrica de papel “Burgo”, de Lama di Reno – conhecida como “Fábrica de Papel da Lama” –, existente há séculos. Dos 100.000 m² deste local industrial, a Dismeco adquiriu cerca da metade, reestruturando completamente – e filologicamente – uma área que estava totalmente abandonada, mantendo o contexto estrutural e arquitetônico original. Único no mundo, o “Borgo Ecologico” pretende operar como uma multiplataforma na qual, além do tratamento de quase todos os tipos de RAEE (por exemplo, para as máquinas de lavar, usando instrumentos inovadores e específicos, a capacidade atual chega a 600 unidades/dia), será possível produzir energia limpa através de fontes de energia renovável, como a geotérmica e a hidroelétrica.

Hoje, já se produz energia elétrica com um sistema fotovoltaico de última geração com potência pico de 1 MW, instalado recentemente.

A atividade em torno da qual gira a vida da Dismeco é baseada em mais linhas de produção, nas quais fazemos o tratamento dos diversos tipos de material. Esta atividade se completa com a gestão logística dos materiais, da sua coleta até a destinação final pós-tratamento.

A busca da valorização máxima das matérias-primas e a constante inovação tecnológica das linhas de produção também estão entre os pontos cardeais deste projeto. Justamente para isso foram ativadas atividades de colaboração com a Universidade de Bolonha e com a universidade sueca de Goteborg. Com esta última, como parte de um projeto a nível europeu, estão em curso estudos sobre a recuperação dos elementos químicos denominados “terras raras”, substâncias presentes no pó das lâmpadas fluorescentes e de neon.

A Dismeco participa também, juntamente com um pool de empresas, do projeto europeu “Relight Project”, aprovado recentemente (em outubro de 2012) pela Comunidade Europeia – cujo resultado será a implantação tecnológica das atuais máquinas de tratamento das lâmpadas fluorescentes, para aumentar a depuração do mercúrio nos materiais resultantes.

O empenho social da Dismeco se caracteriza pela participação operativa no projeto “RAEE na prisão”, no suporte de dois laboratórios de desmontagem localizados dentro das prisões de Bolonha e Ferrara. A Dismeco foi a primeira empresa na Itália a contratar um detento em liberdade provisória.

Por fim, a Villa Rizzoli, localizada no complexo, se tornará um centro multifuncional, com aulas nas quais serão desenvolvidas atividades didáticas para escolas, para mostrar concretamente às crianças as fases conectadas aos processos de reciclagem do lixo eletroeletrônico. Neste mesmo edifício serão desenvolvidas também atividades de pesquisa ambiental e iniciativas com associações de ambientalistas.

Este modo de ser empreendedor é conveniente também economicamente? É uma nova visão de empresa que está surgindo?

Não é uma ótica que maximiza o retorno econômico, mas que motiva todos os componentes da empresa. A curto prazo, esta abordagem pode não dar os frutos esperados, mas a médio e longo prazo será reconhecida positivamente no próprio território.

Os projetos da Dismeco podem ser consultados aqui.

 

Tradução: Débora Gastal

Categorias: Ecologia e Meio Ambiente, Entrevista, Europa, Internacional

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


2a Marcha Mundial da Paz e da Não-violência

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.