Eleitores Latinxs a favor da Frente de Ação Política de Biden

06.10.2020 - EUA, Estados Unidos - David Andersson

This post is also available in: Inglês, Espanhol, Francês, Alemão

Eleitores Latinxs a favor da Frente de Ação Política de Biden
(Crédito da Imagem: David Andersson)

Após escrever “Eleitores brancos a favor da Frente de Ação Política de Biden” algumas semanas atrás, Javier Castaño, diretor do Queens Latino, perguntou se eu poderia escrever um artigo sobre a importância do voto Latinx nas eleições presidenciais de 2020 dos EUA.

A eleição que está por vir não é uma campanha política tradicional, mas uma luta cultural entre um candidato, o Republicano, que está tentando reforçar a supremacia da cultura branca, e o outro, um Democrata centrista neoliberal.

Temos de nos lembrar que Trump foi eleito como um contragolpe à presidência de Barack Obama, já que uma grande parte da comunidade branca não gostava de ter um presidente negro. Desde o Dia Um, a agenda de Trump tem sido voltada a destruir tudo o que foi feito durante a administração anterior. Esses atos também vêm acontecendo em alguns países da América do Sul, os quais tinham alcançado avanços sociais interessantes, tais quais o Brasil após os governos Lula/Rousseff, com a eleição de Bolsonaro; e na Colômbia, com a eleição de Duque Márquez após a administração de Santos.

Nos EUA a verdadeira luta ainda não começou, e esta eleição pode ser a faísca para acender o fogo. A luta será produzir uma revolução cultural não violenta, da qual transformará a atual sociedade de hegemonia branca em uma comunidade realmente multicultural. Essa transformação repercutiria muito além das fronteiras dos EUA, e poderia transformar potencialmente uma grande parte do mundo.

Todos nós vimos as imagens atrozes de famílias latinx sendo separadas enquanto estavam sob custódia do ICE, a agência de Imigração e Alfândega dos EUA, que mantinham crianças pequenas sozinhas em jaulas. Também vimos como caravanas da América Central estão sendo paradas na fronteira com o México, deixando esses emigrantes a mercê dos cartéis locais. Essas ações foram tomadas para mostrar à comunidade Latina que ela não é bem-vinda nos EUA. Todas tiveram a intenção de gerar medo e demonstrar a supremecia cultural. São as mesmas táticas racistas que foram usadas contra negros, mas agora aplicada a latinxs.

O maior obstáculo para nossa luta é a ilusão mantida por algumas pessoas de que os latinos podem se tornar “brancos” e se integrarem nesta cultura de poder. Isto não aconteceu e nunca irá. Para os brancos do ocidente, não importa se você é colombiano, chileno ou mexicano e fala espanhol (ou português). Isto é suficiente para torná-lo o “outro”.

Se aprendemos uma coisa com a pandemia do Coronavírus é que o sistema nos EUA é diferente para pessoas de cor e para a comunidade branca. Em relação à idade, negros e latino-americanos têm 3.3 vezes uma maior probabilidade de morrer por COVID do que seus vizinhos brancos.

Esta campanha presidencial força qualquer americano que vem do sul da fronteira do México a se reconhecer como LATINX. Os negros entenderam isso bem antes em sua luta, e mostraram orgulho por sua identidade cultural como NEGROS.

É quase impossível que Biden ganhe esta eleição sem ganhar os votos da população negra e latinx. Não é possível esperar que Biden una as divisões políticas existentes na comunidade latinx entre esquerda/direita, socialismo/capitalismo etc., mas na realidade essas divisões têm pouco a ver com esta eleição. Os dois principais candidatos são capitalistas, neoliberais, militaristas. Mas um também é claramente anti-humanista, antidemocrata, nacionalista e profundamente comprometido em preservar a cultura dominante dos brancos. Mais quatro anos aprofundariam essas divisões dentro do país e envenenaria as relações com as pessoas pelo mundo.

Imagine só por um minuto um movimento de “LATINXS a favor de BIDEN” unindo milhões de latinx-americanos, de Cuba ao Chile, com somente um objetivo: confrontar abertamente a questão da discriminação nos EUA em todas as suas formas. Tudo se ajustaria depois disso. Este não é o momento de formar pequenos grupos, como colombianos a favor de Biden ou quaisquer outras subdivisões. Biden não tem um projeto político específico para cada país da América Latina, e esta nem é a questão.

Este é um momento crucial para Latino-Americanos. Será que eles querem que sua cultura seja uma subcultura dos brancos do ocidente, ou, pelo contrário, eles estão aptos a ajudar a nos guiarem por um caminho diferente e lançar uma imagem do futuro baseada nas melhores qualidades e valores da riqueza de sua própria cultura? Esta eleição se trata de escolher seguir em uma nova direção. Conectar-se com o que as pessoas trazem em seus corações é a única escolha coerente para o futuro da humanidade. Votar em Biden é apenas um pequeno passo nessa incrível jornada, mas um importante passo a dar.


Traduzido do inglês por Gabriela Assis Santos / Revisado por Isabela Gonçalves

Categorias: América do Norte, Opinião, Política
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.