Meninos vão receber duas doses da vacina, com intervalo de seis meses entre uma e outra; meninas já recebem a vacina, também aos 10 anos, desde 2008

A vacina contra o papilomavírus humano, o HPV, vai passar a ser obrigatória em Portugal para meninos a partir dos 10 anos de idade. A medida entra em vigor já no próximo dia 1 de outubro.

Os meninos vão receber duas doses da vacina, com intervalo de seis meses entre uma e outra. De acordo com a Diretora Geral de Saúde, Graça Freitas, quem completou 10 anos em 2019 vai ser “repescado” e vacinado em 2020.

Os meninos que porventura não façam a imunização na idade correta ainda vão poder ser vacinados na rede pública até os 18 anos de idade, recebendo três doses, e não duas, caso o ciclo seja iniciado a partir dos 16 anos.

A medida chega para reforçar a luta portuguesa pela eliminação do câncer de colo de útero, “um objetivo para 2030 da Organização Mundial de Saúde”, disse Graça Freitas em coletiva de imprensa. O HPV é um dos principais causadores da doença. As meninas já recebem a vacina, também aos 10 anos, desde 2008.

“Temos a segunda maior taxa de cobertura do mundo. Entre os 13 e os 27 anos de idade, de 85% a 94% das jovens que residem em Portugal estão vacinadas contra o papilomavírus humano”, disse a diretora.

De acordo com a pediatra Mônica de Miranda Baptista, a expansão do público alvo confirma a importância da imunização como medida preventiva. “Já era uma orientação do comitê de infeciologia da Sociedade Portuguesa de Pediatria. O assunto tem sido discutido em congressos e já há algum tempo se recomenda aos meninos. Nossa grande dificuldade em adesão era o preço, já que cada dose custa algo em torno de 145 euros”, diz a médica à Sputnik Brasil.

A expectativa da Direção Geral de Saúde é de vacinar anualmente em Portugal 40 mil meninos contra o HPV.

O artigo original pode ser visto aquí