Chile: o Partido Humanista volta ao congresso depois de 25 anos

24.11.2017 - Redação São Paulo

Chile: o Partido Humanista volta ao congresso depois de 25 anos

Esta semana tenho seguido de perto as experiências de Tomás Hirsch, o candidato do Partido Humanista para deputado do Distrito 11 do Chile porque sua esposa e minha grande amiga, Juanita Vergara, convidou-me em maio para vir a Santiago para as eleições. Há seis meses já sentindo que o panorama político havia mudado e que o Chile estava se preparando para fazer um ajuste histórico em seus rumos e ousaria dar oportunidade à política humanista.

A semana de atividade intensa chegou ao fim com a votação final. Durante este dia visitamos três centros de votação, um na zona alta de Las Condes, bairro onde vivem os ricos e famosos. Centenas de pessoas bem vestidas, composta principalmente de residentes de Santiago do Chile mais idosos se mobilizaram para votar. Até mesmo pessoas em cadeiras de rodas e muletas vieram cumprir com seu dever cívico.

Mais tarde fomos ao bairro vizinho de Peñalolen para acompanhar o voto de Tomás. Aqui a população local tem um perfil completamente diferente: mais jovens, menos acomodados, mais crianças acompanhando os adultos. O dia estava esquentando e a multidão procurava manter-se longe do sol que nos queimava.

Em nossa terceira visita à mesa de votação, agora para acompanhar Juanita, encontramos o mesmo entusiasmo em votar, apesar da participação nacional ter chegado a apenas 50%. Por onde passamos nas últimas mesas de votação encontrávamos pessoas felizes a cumprimentar Tomás e declarar seu apoio a ele. No bairro de La Reina, uma mulher em cadeiras de rodas disse: “Te amo, Tomás! Pode contar com meu apoio.”. Este é um homem que dispendeu 25 anos trabalhando arduamente para representar as pessoas deste bairro e tem leais seguidores em muitas partes do país resultante de duas campanhas presidenciais e milhares de quilômetros viajando de norte a sul deste curioso país localizado entre as montanhas dos Andes e o oceano Pacífico.

Esta campanha seria a última, depois de ter decidido que se não conseguisse desta vez, não havia esperança de que o projeto do Partido Humanista se concretizaria através dele, enquanto ainda tem o impulso, a motivação e a energia vital suficientes para realizá-lo.

Acabamos de voltar da sede central do partido, de onde se implementou a campanha em seus detalhes e com muito trabalho autônomo de dezenas de voluntários e, complementando: foram distribuídos dezenas de milhares de panfletos e levantaram-se centenas de bandeiras em armações de madeira, conhecidos localmente como pombos por todo o distrito. Aqui esperamos enquanto os votos eram contados por mesa: 2053 delas com até 300 votantes inscritos em cada uma delas.

O resultado foi absolutamente espetacular. No distrito que fez 6 deputados retornarem ao Congresso chileno e que votou esmagadoramente nos partidos de direita, somente um dentre eles era da esquerda: Tomás Hirsch. A coalizão de partidos, incluindo o Partido Humanista –  conhecido como Frente Ampla – obteve 17% de votos com 7% para o Partido Humanista e 23.635 pessoalmente para Hirsch.

Hirsch esperou até que 90% das mesas tivessem os votos contados para se assegurar de que os 0.75% de vantagem sobre seu rival mais próximo estava garantido antes falar com as pessoas reunidas em torno de sua candidatura cujo nível de excitação estava atingindo níveis estratosféricos. Começou agradecendo a todos, equipe e família, incluindo sua filha que mesmo grávida coordenou grande parte da equipe da campanha. Agradeceu a dedicação de membros da equipe que em alguns casos têm 30 anos de dedicação. Esclareceu que seu papel como candidato era apenas uma das muitas funções necessárias para executar um projeto tão audacioso. Fez referência à primeira Humanista eleita, Laura Rodríguez, que representou o Distrito 11 no primeiro governo pós-ditadura em 1990 e morreu tragicamente antes de terminar seu mandato no Congresso: sua contribuição continua sendo reconhecida apesar de muitos de seus projetos terem ficados inacabados e terem sido rejeitados por seus sucessores eleitos. Agradeceu à candidata presidencial da Frente Ampla, Beatriz Sánchez, pelo imenso trabalho que realizou nesta campanha, inspirando as pessoas, principalmente as mulheres, por onde passou. Ele também agradeceu a Silo, seu guia espiritual e ativista da mudança social não violenta cuja inspiração culminou com a criação do Partido Humanista em 1984.

Para aumentar a alegria do Partido Humanista, foram eleitos também outros quatro candidatos para deputado da plataforma do Partido Humanista, o que resulta em um total de 21 deputados da Frente Ampla, ou seja, 14% das 155 cadeiras do Congresso chileno. Sete conselheiros locais também foram eleitos dentre os candidatos do Partido Humanista.

A composição do Congresso chileno mudou drasticamente e, a partir daqui, os humanistas e seus colegas da Frente Ampla poderão desenvolver projetos de leis que verdadeiramente reflitam as necessidades e interesses das pessoas comuns deste país, que tem um dos piores índices de desigualdade do mundo.

Não está claro neste momento se o próximo presidente será o direitista Sebastián Piñera, que fará todo o possível para fazer retroceder todos e cada um dos mínimos avanços da distribuição da riqueza implementado pelo atual governo de Michelle Bachelet, beneficiando os mais ricos, ou se será o sucessor do partido de Bachelet, Alejandro Guiller, que não deve ser tão mal quanto Piñera, mas que prosseguirá mantendo e aprofundando o modelo neoliberal de privatização dos serviços públicos e vendendo barato os recursos naturais.

Esta noite, antes de ir acompanhar a contagem dos votos, Tomás me disse: “Se eu não for eleito, tenho um plano, vou reservar umas férias na Itália”, sinto muito Tomy, mas esse dia festivo terá que esperar. Agora começa o verdadeiro trabalho. Agora é o momento em que você e sua equipe transformem o conjunto de ideais estabelecidos em um manifesto brilhante e inspirador em um conjunto de passos concretos e projetos que possam ser levados a cabo e logo avaliados pelas pessoas que o elegeram.

Com certeza você contará com um grande apoio de todos os movimentos sociais que formam a Frente Ampla, e sem dúvida a Pressenza estará acompanhando cada passo desse caminho para cobrir tudo o que você e seus colegas estiverem realizando.

Felicitações!

Categorias: Ámérica do Sul, Opinião, Política
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Apresentação de vídeo: O que é a Pressenza

Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.