Dia de paralisações e greves é chamado por centrais sindicais e mobilizam trabalhadores no Brasil inteiro.

30.06.2017 - Redação São Paulo

Dia de paralisações e greves é chamado por centrais sindicais e mobilizam trabalhadores no Brasil inteiro.

Para um dia de paralizações e greves a retórica da direita é – como sempre – chamar quem participa dos protestos de baderneiros, – a ideia que se propaga é que quem manifesta é contra a população e pratica uma grave agressão aos mesmo. Nesse  grande devaneio, perde-se a noção da quantidade de direitos historicamente conquistados que estão sendo aniquilados paulatinamente. Um dos melhores exemplos, dentre tantos, é a reforma trabalhista. Hoje já é possível terceirizar a atividade fim, o que precariza a vida de milhões de trabalhadores. A retórica que apregoa a ideia de quem faz greve é vagabundo e não tem o que fazer é infantil. Quem faz greve a faz para garantir condições mínimas de trabalho. Uma luta que é de todos os trabalhadores.

Por tantos anos a riqueza do país foi direcionada para uma pequena parcela, os mais ricos, qual é o problema de redistribuir essa riqueza por mecanismos como o bolsa família? Os grandes empresários – que estão impregnados com os argumentos neoliberais no campo da economia e que sempre falam de um estado mínimo – ganham enormes quantidades de recursos com empréstimos do BNDS. O Estado Mínimo para o povo e máximo para as grandes corporações.

Os trabalhadores querem garantir seus direitos sociais – direitos definidos como a possibilidade de participar da riqueza nacional. A participação na riqueza do país é mais do que realizada pela casta dos mais ricos. Qual é o problema dos mais pobres terem acesso a ela? Essa participação vêm com educação de qualidade, direitos trabalhistas e uma gama de legislações que visam proteger aqueles que mais precisam.

Isso não é coisa de vagabundo. A palavra que vem do latim VAGABUNDUS denota quem anda sem destino. Os trabalhadores mobilizados não andam sem destino, eles tem um alvo claro – a luta por direitos sociais e contra um governo ilegítimo e que tem um dos piores índices de aprovação do povo, diga-se de passagem.

O povo brasileiro não merece um governo desses. Nem nenhum outro povo do mundo.

Pelo contrário, os movimentos que patrocinaram o golpe, cada dia mais nítido do que nunca, poderiam ser enquadrados nesta categoria – vagabundo- uma vez que parecem não terem um caminho muito certo. Uma hora clamam pelo fim da corrupção em outra se calam frente a escândalos astronômicos gigantescos do governo do temeroso. O que parece ser uma indignação seletiva e orquestrada.

Por nenhum direito a menos!

#GrevePorDireitos  #ForaTemer #NenhumDireitoAMenos

Alguns vídeos do dia de paralisações e greves nacional.

Créditos imagem – Coletivo de Comunicação do MST Bahia e Mídia Ninja

Categorias: Ámérica do Sul, Política
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.