A hora de ocupar as ruas

22.05.2017 - Redação São Paulo

A hora de ocupar as ruas

O apocalipse político paira Brasília. Após as divulgações de áudios envolvendo o presidente Michel Temer e o senador mineiro Aécio Neves, a classe política entrou em pânico. Pelo o que parece ser um golpe dentro do golpe.

No audio de 38 minutos divulgados por um jornal on-line,  o presidente e o empresário Joesley Batista, aparecem conversando sobre a situação do deputado cassado Eduardo Cunha. O ex-presidente da câmara foi vital para o processo de impedimento da ex-presidente Dilma Rousseff. Além disso,  tinha conhecimento enciclopédico sobre os esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro que envolviam políticos de todo o espectro político. De modo que seria vital para a manutenção do golpe mantê-lo de boca fechada. Joesley afirma ao presidente que está mantendo Eduardo Cunha sob controle e o chefe do executivo simplesmente diz que deve-se manter isso. Em outra palavras – está de acordo com a prática de subornos, que é criminosa.

Além disso, há indícios de vazamento de informações privilegiadas para o empresário. Temer teria se encontrado com o mesmo e anunciado a queda da taxa de juros, informação que nem mesmo o presidente deveria saber, pois o Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (Copom), órgão que regula a taxa de juros no país deve ter, segundo a legislação, autonomia para atuar. De modo que o presidente não deveria ter acesso a tal informação, e muito menos divulgá-la. Tal ato configura o crime de uso de informação privilegiada.

O senador tucano foi o mais infeliz. Fora afastado por decisão do STF e teve seu primo e irmã presos. Em uma conversa gravada com o mesmo empresário, pede uma quantia de dois milhões de reais para o pagamento de despesas contraídas junto a advogados. Relata ainda um acordão entre os partidos para cessar a sangria causada pela operação Lava Jato.

O episódio aprofundou a crise constitucional brasileira existente desde o golpe de 2016. Ao povo brasileiro resta apenas uma saída – a ocupação das ruas e o pedido por novas eleições. Apenas as mesmas poderão trazer um governo legítimo.

Apesar da aguda crise política, Michel Temer insiste em continuar na presidência. Houve a debandada de alguns partidos, porém o presidente golpista segue com o apoio de partidos de peso. Apenas a mobilização popular poderá trazer uma solução para essa crise. Apenas a ocupação das ruas, praças e avenidas pelo povo fará a mudança necessária ocorrer.

Terminamos com a lembrança do texto constitucional que em seu primeiro artigo afirma que todo o poder emana do povo. Sendo assim, apenas o povo poderá tirar Michel Temer do poder, ele e todo o projeto que representa, em outras palavras o  sucateamento da máquina pública como o desmanche da educação, saúde e previdência. Políticas que prejudicam a classe trabalhadora em um dos países mais desiguais do mundo. O povo brasileiro não vai tolerar mais isso.

Por novas eleições,

Diretas já!

Categorias: Ámérica do Sul, Política
Tags: ,

Boletim diário

Indique o seu e-mail para subscrever o nosso serviço diário de notícias.


Milagro Sala

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.