A primavera do Chile na Alameda neste domingo

06.11.2011 - Santiago - Prensa Latina

A destacada dirigente universitária precisou que concluída a marcha, que partirá de Praça Itália, celebrar-se-á um ato político cultural no Parque Almagro de Santiago.

Figuram como convidados reconhecidos solistas e grupos musicais, entre eles, Pancho Villa, Chico Trujillo, Rebeca Godoy, Manuel García, Illapu e Banda Conmoción.

Sobre a jornada dominical, José Ankalao, presidente da Federação Mapuche de Estudantes apontou que servirá para demonstrar que o protesto social no Chile e, em particular, o Movimento Social por uma Educação Pública e Gratuita está mais vivo que nunca.

Disse que a Confederação de Estudantes do Chile sabe que a gratuidade não se vai conseguir de hoje para amanhã, mas a luta deve seguir em função dessa meta e de gestos políticos que conduzam à conquista desse sonho no futuro, enfatizou.

A agenda do Movimento Social pela Educação Pública e Gratuita contempla ademais uma marcha nacional na próxima quarta-feira rumo à cidade de Valparaíso, a uns 120 quilômetros ao noroeste de Santigo, onde fica a sede do poder legislativo chileno.

Coincidirá essa manifestação com o início dos debates no Congresso do projeto de Lei do Orçamento 2012, desqualificado por acadêmicos, estudantes e professores por considerarem que privilegia a educação privada, em detrimento da pública.

Surpreende-me, indicou o reitor da Universidade de Chile, Víctor Pérez, que ao Estado lhe custe tanto entender o que significa a educação para uma família.

É essencial, apontou, que entendamos que a postergação da educação pública não é mais possível e se não se resolve, voltará a aparecer a cada vez com mais força.

O Orçamento para 2012 claramente não é o que a cidadania estava esperando. Queria-se escutar uma decisão de Estado para ter uma educação pública de qualidade e equitativa e isso não se está vendo na proposta para o próximo ano, reafirmou Pérez.

A marcha pela Alameda neste domingo produz-se ademais no meio de uma forte arremetida da direita dirigente contra a Confederação de Estudantes de Chile e em particular contra Camila Vallejo.

É outra prova do desenfoque da Moneda (o Palácio Presidencial), disse o Rede Diário Digital de Chile.

Os que lançam seus dardos contra Camila não entendem que o atual conflito estudiantil não é o problema, senão o sintoma de um sistema de educação mercantil, fracassado de maneira irremediável, enfatizou a publicação.

Categorias: Ámérica do Sul, Internacional, Política

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Pesquisa

 

Caderno de cultura

Cuaderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale youtube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Milagro Sala

Arquivo

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.