Europa

Marcha Mundial pela Paz e a Não violência lança campanha de doações

O porta-voz internacional da Marcha Mundial pela Paz e a Não Violência, Rafael de la Rubia, enviou uma carta aos aderentes da iniciativa, pedindo a doação de quilômetros para a equipe que percorrerá os 160 mil quilômetros do percurso que começa na Nova Zelândia no próximo dia 2 de outubro. A doação de quilômetros pode ser feita pela Internet, no site oficial da Marcha.

Libertado terrorista de Lockerbie por razões humanitárias

O secretário da Justiça da Escócia, Kenny MacAskill, libertou o terrorista Abdel Basset al-Megrahi por razões humanitárias. Ele foi o único condenado pela explosão do vôo 103 da Pan Am em 1988, sobre a cidade de Lockerbie. MacAskill tomou uma decisão de não-reciprocidade: embora al-Megrahi não tenha demonstrado compaixão, a decisão mostrou compaixão por ele.

A Orquestra árabe-israelense West-Eastern Divan celebra seu décimo aniversário

Daniel Barenboim e a Orquestra West-Eastern Divan celebram o décimo aniversário da criação do grupo musical com uma turnê de concertos pela Europa, na qual visitarão alguns dos mais prestigiados festivais e salas de concertos do continente. Esta orquestra defende un modelo alternativo para resolver a situação atual de conflito no Oriente Médio.

Aniversário da assinatura da 4a Convenção de Genebra que coloca limites às guerras, protegendo especialmente aos civis

O 12 de agosto comemora-se o 60o aniversário da assinatura da 4a Convenção de Genebra, que regula a proteção de civis, presos, feridos e trabalhadores humanitários durante conflitos bélicos. As Convenções de Genebra e seus Protocolos Adicionais são a espinha dorsal do Direito Internacional Humanitário, que determina os limites aos meios e métodos de guerra.

Papa Bento 16 saúda os integrantes da Marcha Mundial pela Paz e a Não Violência

Prefeitura da Casa do Pontífice confirma que o Papa receberá os marchantes pela paz na audiência geral do próximo dia 11 de novembro. Os membros da equipe base que saem da Nova Zelândia no dia 2 de outubro terão percorrido países da Oceania, Ásia e Europa antes de levar suas propostas de desarmamento nuclear e não violência para o Vaticano.

Lula recebe prêmio da Unesco por sua ação a favor da paz mundial

“A América Latina vive uma onda vigorosa de democracia, encabeçada por setores historicamente isolados e marginalizados, que hoje têm seu lugar e sua voz nas sociedades mais solidárias”, afirmou o presidente brasileiro ao receber em Paris o prêmio Houphouet-Boigny, do organismo internacional.

O novo paradigma internacional do século 21

Durante a inauguração do Parque de Estudo e Reflexão Toledo, na Espanha, o porta-voz internacional da Marcha Mundial pela Paz e pela Não Violência faz um discurso em que ressalta a proposta de eliminação das guerras e dos armamentos nucleares como condições para o surgimento de um novo paradigma de sociedade. “Entende-se que eliminar as guerras é a condição de partida para que haja uma “nação humana universal”. No caminho até este objetivo é que surge esta Marcha Mundial (MM), que hoje conta com o apoio de mais de 2000 organizações e cerca de um milhão de adesões”, disse. Confira o pronunciamento na íntegra.

Artistas de todo o mundo são convidados para criar uma galeria virtual de “Arte pela Paz”

Uma nova iniciativa foi lançada na República Tcheca: uma galeria de arte virtual com peças inspiradas na paz e na não-violência. Chamada de “Arte para a Paz”, a iniciativa está reunindo imagens criadas por artistas em todo o mundo que serão usadas por ativistas da Marcha Mundial pela Paz e Não-Violência em seus eventos.

‘Acabamos de legalizar centenas de milhares de imigrantes’

Presidente Lula reforça o exemplo brasileiro de tratamento aos imigrantes em discurso no Conselho de Direitos Humanos da ONU. Ele critica a visão de culpar os imigrantes e pobres pela crise mundial. “Os responsáveis pela crise são os mesmos que por muito tempo sabiam como ensinar a administrar os Estados”, disse.

Marcha deve se tornar maior evento pela paz da história da humanidade

Assim previu Rafael de la Rubia, presidente do Mundo Sem Guerras e porta-voz da Marcha Mundial pela Paz e pela Não Violência, durante a apresentação da iniciativa na Espanha.

1 57 58 59 60