População do Sudão do Sul: Rural, pobre

26.07.2011 - Khartoum - Human Wrongs Watch

Essa triste constatação foi apresentada pelas Nações
Unidas logo após a declaração de independência do Sudão do Sul, no último dia 9 de
julho.

De acordo com o relatório das Nações Unidas, o Sudão do Sul apresenta “alguns dos
piores indicadores de desenvolvimento” do mundo.

**Estabilização, ação humanitária e social e justiça**

Na reunião realizada em Genebra no dia 19 de julho, a coordenadora humanitária das
Nações Unidas no Sudão do Sul, Lise Grande, informou que a Equipe de País das
Nações Unidas se alinhará com as prioridades do novo governo em quatro áreas: ação
humanitária, estabilização e proteção, progresso social e justiça, estruturação do novo
governo e definição de responsabilidades.

Durante a reunião organizada pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas
(ECOSOC), Grande relatou que a população do Sudão do Sul, estimada em 9 milhões
de habitantes, constitui-se em sua grande maioria de jovens provenientes da área rural,
pobres e incultos”.

**Do tamanho da França, Afeganistão ou Quênia, mas…**

Segundo Grande, apenas quatro por cento das terras aráveis são aproveitadas para o
cultivo, de um território que tem o tamanho da França, Afeganistão ou Quênia e apenas
1% das famílias possuem conta bancária.

Metade da população não tem acesso à água potável e estima-se que somente uma
pessoa em cada cinco utiliza as unidades de saúde durante a vida e menos de 10% das
crianças concluíram o ensino fundamental.

“Uma menina de 15 anos no Sudão do Sul tem mais chances de morrer ao dar à luz do
que concluir seus estudos”, complementou.

**Nem todas as más notícias são tão ruins**

Mas Grande observou que o Sudão do Sul apresenta um progresso substancial desde
2005, quando o Amplo Acordo de Paz pôs fim à longa guerra civil entre o norte e o sul
do Sudão.

No final do ano passado foram realizadas eleições multipartidárias para a presidência
e para o parlamento, foram estabelecidos serviços policiais, prisionais e o judiciário e
mais de 6.000 quilômetros de estrada foram reformados, ligando as principais cidades e
distritos.

Ela ainda ressaltou que a matrícula na escola primária quadruplicou, as taxas
de infecção por verme da Guiné decresceram mais de 90% e o país está livre de
poliomielite.

Grande ressaltou que a ONU tem o propósito de ajudar o país a atender as necessidades
das pessoas que retornam e dos refugiados, a ampliar a autoridade do Estado para
tornar as áreas mais seguras, auxiliar na melhoria da condição de vida, lutar contra a
impunidade e garantir que os governos sejam responsáveis e transparentes.

[http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=39085&Cr=south+sudan&Cr1=#](http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=39085&Cr=south+sudan&Cr1=#)

Copyright © 2011 Human Wrongs Watch

Este artigo pode ser republicado, mantendo inalterado o link para Human Wrongs
Watch

[http://human-wrongs-watch.net](http://human-wrongs-watch.net)

Categorias: Africa, Direitos Humanos

Sobre o Autor

Human Wrongs Watch


Everybody talks about human ‘rights’ and this is just great. Nevertheless, human beings have been perpetrating, systematically, all kinds of wrongs–they kill each other, they destroy forests, seas, lands, and atmosphere. Simply, humans are now more than ever under the mercy of two dominant powers: the ‘market lords’ and the ‘war lords’–everything, humans included, are now subject to trade deals. Human wrongs Watch informs about some of the so many human ‘wrongs’–it’s our way to draw your attention. Maybe this initiative can help correct some of our misdoing. human-wrongs-watch.net

Número de Artigos : 573
Facebook   Twitter

Boletim diário


Arquivo

Apresentação de vídeo: O que é a Pressenza

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.